UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 30 de junho de 2022

Professores do RN iniciam luta por reajuste do piso salarial

MOBILIZAÇÃO. Profissionais da Educação lutam pelo reajuste no piso salarial no RN (Foto: João Minervino/JAV)

Os professores das redes estadual e municipal de ensino no RN têm dado um forte exemplo de luta e mobilização, com uma greve no município enfrentando uma gestão reacionária e se preparando para também realizar uma greve com os professores da rede estadual.

Redação RN


TRABALHADOR UNIDO – Em 2022, cerca de 1,5 milhão de professores devem receber um reajuste no piso salarial de 33,24%. O aumento é fruto de muita luta da categoria, que realizou grandes greves e mobilizações históricas, conquistando a aprovação da Lei do Piso em 2008.

Nos últimos meses, vários sindicatos realizaram importantes mobilizações para obrigar o Governo Federal a sancionar o reajuste dos 33%, já que a proposta inicial do governo era de míseros 7,5%. Com a vitória da sanção nacional, agora se inicia a luta nos estados e municípios pelo reajuste.

No Rio Grande do Norte, os professores da rede municipal e estadual iniciam o ano já em luta pelo reajuste salarial. Na rede municipal, os professores enfrentam a resistência da gestão do prefeito Álvaro Dias (PSDB), que até agora não realizou o pagamento do piso salarial do ano passado, que era para ter sido de 12%. Por conta disso, os professores do município estão em greve desde dezembro. Com uma grande participação da categoria, a maior parte das escolas está fechada e diversos atos já foram promovidos, um deles reprimido pela guarda municipal.

Já os professores da rede estadual realizaram, no último dia 4/02, um ato na sede do Governo do Estado para cobrar da governadora Fátima Bezerra (PT) o reajuste deste ano. Miguel Salusto, diretor de Comunicação do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do RN (SINTE), explicou como tem sido a luta no Estado: “Tivemos uma primeira reunião com o secretário de Educação, onde o governo falou que iria esperar a decisão do Governo Federal. Depois, o governo do RN cancelou uma reunião com a categoria. Por isso, convocamos um ato e puxamos o indicativo de greve. Esperamos que a governadora realize esse reajuste por completo”, disse. 

A professora Maria do Socorro, diretora regional do SINTE, falou como a categoria tem sofrido com o arrocho salarial: “Há muito tempo a gente tem enfrentado uma crise econômica e política e, além disso, também estamos passando por essa crise sanitária. Para nossa categoria aumentou muito o arrocho salarial; tivemos que investir bastante em matérias para poder dar aulas em meio à pandemia e, pior, não tivemos reajuste em 2021. Agora, com esse reajuste de 33,24%, a maior parte dos municípios diz que não pode dar o reajuste. Como fica a gente? Estamos aqui reivindicando um direito que é nosso”.

Novas lutas

Após o ato realizado pelos professores no dia 4 de fevereiro, o governo do RN anunciou que vai dar o reajuste do piso em março, numa primeira parcela de 13%, sem garantir os retroativos e sem dar um prazo para fazer o pagamento dos outros 20%.

Os professores potiguares têm dado um forte exemplo de luta e mobilização, com uma greve no município enfrentando uma gestão reacionária e se preparando para também realizar uma greve com os professores da rede estadual. Sem sombra de dúvidas, 2022 será um ano de muita luta para toda classe trabalhadora.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes