UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sexta-feira, 30 de setembro de 2022

Movimento Correnteza-ABC promove atividades nos campi da UFABC

DEBATES – DCE organizou encontro entre candidatos(as) à reitoria da UFABC (Foto: Julia Poletto/ A Verdade).

Estudantes organizados pelo Movimento Correnteza e pelo DCE da UFABC realizaram atividades de solidariedade com distribuição de cestas e de debate político durante as eleições para a reitoria.

Gabriella Massafera e Julia PolettoMovimento Correnteza

____________________________________________________

SANTO ANDRÉ – Em parceria com entidades da Universidade Federal do ABC, o Diretório Central dos Estudantes realizou mais uma entrega de cestas básicas para os estudantes da Universidade na luta por Natal sem fome – evento chamado de Natal Solidário 2021. A atividade foi realizada no espaço conhecido como “Piso Vermelho”, dentro da UFABC, e incluiu a entrega de 45 cestas básicas. Participaram estudantes de diversas instituições – públicas e privadas.

Para a sua construção, foi realizada uma semana inteira de divulgação e de mobilizações em que os alunos foram para os bairros, para os mercados e para as avenidas denunciar a situação de fome e de miséria que assola o nosso país e buscar auxílio dos apoiadores da luta estudantil.

Lívia Sousa, 19 anos, comentou sobre sua experiência: “foi a terceira vez que eu estive no campus, pois eu entrei no meio da pandemia então não tive outras oportunidades. Cara… foi tão bom poder estar ali com o pessoal, conhecer todo mundo que faz parte dessas entidades. A energia era incrível e dava para ver claramente a vontade de ajudar de todo mundo que estava ali. Sério, sinto que dava pra gente dominar o mundo com tanta dedicação que o pessoal teve. Eu tive a oportunidade de ajudar montar as cestas e foram realmente cestas bem completas. Queria também agradecer a todo mundo que doou, porque eu trouxe uma cesta para casa também, assim como várias pessoas que estavam lá. Com certeza a gente – a principalmente o pessoal do DCE – ter continuado trabalhando depois das férias da universidade fez o final de ano de pelo menos 40 famílias melhor”.

SOLIDARIEDADE – Estudantes organizaram arrecadação e doação de mais de 40 cestas básicas (Foto: Julia Poletto/ A Verdade).

Após a entrega das cestas básicas, foi realizada a Plenária dos Estudantes do ABC, tendo na mesa informes sobre a conjuntura, sobre a atuação do Movimento Correnteza na UFABC e nas universidades privadas, finalizando com a fala sobre a diretoria de Solidariedade do DCE.

Os estudantes presentes fizeram suas intervenções contra o Governo, em defesa da universidade e sobre a luta para torná-la um espaço cada vez mais acessível e inclusivo.

2022 se inicia com luta!

Já em 2022, nos dias 8 e 12 de fevereiro, o DCE realizou duas atividades internas nos campi de Santo André e São Bernardo do Campo, respectivamente, que contaram com a presença de um total de 120 estudantes.

Tendo como principal objetivo mobilizar a comunidade estudantil para as eleições da reitoria que estavam ocorrendo na Universidade, a primeira atividade realizada foi um aulão com o tema “Como as eleições da reitoria impactam a vida dos estudantes?”, em que foram apresentadas questões conjunturais, do processo eleitoral em si e a importância do envolvimento discente. Após o aulão, os estudantes fixaram cartazes expondo seus motivos para defender a UFABC.

Em São Bernardo, foi promovido o único debate presencial entre as chapas concorrentes à reitoria contando com perguntas sobre retorno presencial; cortes de verba; políticas afirmativas, de permanência e acessibilidade; e sobre o Fora Bolsonaro.

Nas duas atividades, a diretoria de Políticas Educacionais do DCE realizou visitas guiadas com os estudantes ingressantes de 2020 e 2021 que puderam, enfim, conhecer sua universidade pela primeira vez.

Em um país em que metade da população passa fome e não tem condições de arcar com o aumento generalizado dos preços, a organização estudantil e a denúncia do governo genocida de Bolsonaro – que atua para sua própria família, para os militares e para os banqueiros – se torna cada dia mais necessária para garantir a permanência estudantil, a educação pública, gratuita e de qualidade para todos.

Lembrem-se: universidade fechada afasta o povo da construção do conhecimento, portanto é preciso que nossas entidades promovam cada vez mais atividades presenciais nas universidades, em defesa do retorno seguro e acessível!

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes