UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sexta-feira, 30 de setembro de 2022

Jovem com deficiência é morto pela polícia no Rio de Janeiro

Morto pelas costas, membro da torcida Força Jovem do Vasco esperava para cortar o cabelo na localidade do Café, na Barreira do Vasco. 

Acauã Pozino
Rio de Janeiro


RIO DE JANEIRO – Na noite de ontem (sexta, 06/05), o jovem Ruan do Nascimento, 27 anos, conhecido como Monstrinho, foi morto na comunidade da Barreira do Vasco, localizada no bairro de São Cristóvão, Zona Norte do Rio de Janeiro. O jovem, que era conhecido por todos na comunidade, era mascote da torcida Força Jovem do Vasco.

Moradores contam que por volta das 18:50h Ruan estava parado em frente a uma barbearia para cortar o cabelo para ir assistir ao jogo do Vasco contra o CSA pela série B do campeonato brasileiro, quando policiais à paisana entraram atirando na rua Ricardo Machado. Um deles se aproximou de Ruan e o alvejou pelas costas a sangue frio.

O jovem foi, então, jogado no porta-malas de um carro e levado ao hospital, sem ao menos que seus parentes fossem avisados. Ruan não resistiu aos ferimentos e morreu, ainda na noite de sexta-feira. Em protesto, moradores da comunidade atearam fogo a contêineres de lixo. 

Esse acontecimento, infelizmente, não é isolado. O povo pobre mal terminou de chorar o assassinato de Jonathan, no Jacarezinho, sentado na calçada à noite, quando mais um jovem negro morador de favela é morto pela polícia. Eles se somam a milhares de pessoas mortas todos os anos, como o jovem autista Amílton Bandeira, covardemente assassinado no Maranhão, em 2021, por exemplo. 

As vítimas são sempre as mesmas: jovens pretos, muitos deles com algum tipo de deficiência, alvos da violência do Estado feito por e para os ricos.

Isso lembra a todos nós, que lutamos por outra sociedade, que por nossos mortos nem um único minuto de silêncio, mas uma vida inteira de luta.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes