UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 6 de outubro de 2022

500 famílias do Residencial Vivendas do Mar se organizam para lutar por ônibus e iluminação

Bianca Plessym
Salvador-BA

O Residencial Vivendas do Mar, localizado em São Tomé de Paripe é um dos empreendimentos pensados e construídos pelo extinto Minha Casa Minha Vida. O condomínio que custou R$ 32,1 milhões aos cofres públicos hoje não se parece nada com o que foi descrito pelo ministro do Desenvolvimento Regional Rogério Marinho, o titular da Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Luiz Carlos de Souza e o prefeito de Salvador, Bruno Reis na cerimônia de entrega, em 2021.

Segundo matérias de jornais do ano de 2021 e declarações dos citados o condomínio
Residencial Vivendas do Mar oferece infraestrutura completa, com sistemas de abastecimento de água e esgoto, iluminação pública, energia elétrica, pavimentação e drenagem. Além de creche, escola postos de segurança e Unidade Básica de Saúde próximas ao empreendimento.

A realidade é que quando chove, a água da chuva se acumula nas ruas do condomínio pois não há bueiros em cada bloco, a ladeira que dá acesso ao condomínio à noite não possui iluminação pública adequada e a falta de um ônibus que entre no condomínio impossibilita o acesso a educação, segurança e a saúde.

Devido a falta de transporte público, moradores enfrentam dificuldades para subir diariamente a ladeira que dá acesso ao condomínio.

Como é o caso de Sr. Edimilson, morador do residencial que não consegue fazer seu tratamento fisioterapêutico para tratar uma lesão causada por um acidente, porque não possui dinheiro para pagar transporte particular e sua condição de saúde não o permite subir a enorme ladeira que da acesso ao residencial. Alguns moradores que são idosos, possuem deficiências físicas, mobilidade reduzida ou andam de cadeiras de rodas ainda não conseguiram morar ou abandonaram a tão sonhada casa própria por conta da falta de acessibilidade e a ausência de um transporte público.

“Todo dia a gente tem que subir essa ladeira imensa, porque o governo acha que só entregar as chaves da casa resolve o nosso problema. Eles esquecem que quem mora aqui precisa de acesso à educação, a saúde, ao lazer, segurança e tudo isso é dificultado por conta da falta de um ônibus que suba aqui, no condomínio. Muitas vezes já deixei de voltar para casa e dormi na casa de parentes para não subir essa ladeira a noite, é muito inseguro.’’ – Eslane Paixão, moradora do condomínio, candidata a deputada federal, presidenta do partido Unidade Popular pelo Socialismo.

Eslane Paixão, moradora do Condomínio Vivendas do Mar e candidata a deputada federal pela Unidade Popular em reunião com os moradores para organizar a luta para que o transporte público acesse o local.

O residencial conta com a estrutura de 500 casas construídas mas boa parte das moradias ainda não foram efetivamente ocupadas por conta das dificuldades enfrentadas. Tendo em vista isso, os moradores se reuniram em assembléia no dia 26/08 para debater, se organizar e lutar para que alguma linha dos ônibus já existentes no bairro acesse o condomínio. Dando o exemplo de que a organização e união do povo é capaz de melhorar a nossa realidade!

Moradores do Condomínio Vivendas do Mar organizam a luta para que os ônibus já existentes no bairro acessem a rua que leva ao condomínio.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes