UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 7 de fevereiro de 2023

Fascismo à brasileira: o retrato da serra gaúcha pós-eleições de 2022

Renato Scherer Dias
Caxias do Sul/RS


OPINIÃO – Desde o dia 30 de outubro, por todo o país nasceram manifestações  golpistas e de ideologia fascista. Na região sul do país, foram registrados casos de bloqueio de trânsito, agressão e gestos de saudação nazista no estado de Santa Catarina, em particular. Não distante disso, em vários municípios da Serra gaúcha (grande reduto do bolsonarismo no RS) foram feitos bloqueios e manifestações ocupando vias públicas e em frente a batalhões do exército brasileiro, como no caso de Caxias do Sul, atos que acontecem desde o dia 02 de Novembro em frente ao 3º Grupo de Artilharia Antiaérea (3GAAAe), organizados via grupos de Whatsapp e vídeos disparados em todas as redes sociais, incitando e chamando a população a comparecer nestes atos golpistas.

Por muitas vezes, esses vídeos, cards e informativos ostentam pessoas com camisetas que carregam logotipos de empresas de Caxias do Sul, como lojas e estandes de tiro, que tem entre suas atividades promoção e execução de cursos de formação paramilitar com tópicos de formação que vão desde: “quem você é?” e “por que ter uma arma?”. Integrantes e clientes destas lojas também são linha de frente do fascismo na região, adentrando em manifestações estudantis, armados e filmando de forma a amedrontar e intimidar os manifestantes, como o registrado e vivido por vários estudantes do IFRS – Caxias do Sul, militantes de partidos de esquerda presentes no ato contra os cortes nas instituições de educação do dia 18 Outubro na praça Dante Alighieri, quando quatro (4) indivíduos armados e com roupas camufladas, dentre eles um  carregava o brasão do exército brasileiro em sua camiseta, adentraram em meio aos participantes (na sua maioria menores de idade estudantes do IFRS) filmando os rostos e as falas nas quais denunciamos cortes feitos pelo governo federal junto às instituições de educação. Assim deixando claro a ideologia fascista, armamentista e golpista que tais indivíduos articulam em seus meios de comunicação ligados às empresas da cidade.

Presentes nestes atos que pedem golpe contra a democracia brasileira, fica a nítida participação de empresas que conforme já apurado pelo MPT – Ministério Público do Trabalho, estão coagindo seus funcionários a participarem dos atos em troca de não perderem sua fonte de renda, assim promovendo locaute, que configura crime segundo a legislação trabalhista por greve de empresários, quando o mesmo retira os meios de produção e os postos de trabalho de atividade por interesse particular e neste caso, o fez para dar apoio a atos golpistas. 

Na região de Bento Gonçalves, cerca de 100 lojistas fecharam suas portas em apoio aos atos golpistas no dia 07 de Novembro, porém não constam denúncias no MPT até o momento. Em resposta às manifestações golpistas de caráter fascista, manifestantes e forças políticas da cidade de Caxias do Sul cobraram atitude dos vereadores do município no último dia 08 de Novembro na Câmara de Vereadores. A sessão foi suspensa várias vezes pela presidente da Câmara Tatiane Frizzo (PSDB) em todo momento que eram feitas cobranças sobre atitudes a respeito dos atos golpistas na cidade. Tal situação se desenrolando para confronto direto entre Mauricio Scalco (Novo) e um manifestante que cobrava alguma posição dos vereadores, situação na qual o Vereador Maurício toma o celular da mão do jovem, que em imagem registrada é segurado por outro servidor da Câmara e tem seu celular tomado das mãos pelo parlamentar, o mesmo abriu boletim de ocorrência contra o parlamentar citado.

Dada a utilização dos termos Fascismo, golpismo e paramilitar, gostaria de elucidar tais acusações, a ascensão de indivíduos com discursos de discriminação, ameaça, identificação de inimigo interno da nação, preconceito racial, de gênero e religioso é historicamente uma tática adotada pelo fascismo em todos os momentos em que tal ideologia se mostrou presente em uma sociedade, apontando falsos culpados como causadores de uma crise econômica e/ou social, crises essas que são geradas pelo próprio capitalismo. Desta forma, os poucos indivíduos que sempre lucram mesmo com o capitalismo em crise, incentivam a ideologia fascista que serve como um espelho, escondendo os motivos reais da crise capitalista e refletindo no seu próprio povo a culpa por uma condição natural do sistema velho e falho do capitalismo. 

Neste ponto o governo federal por meio de suas medidas e pronunciamentos durante todo o mandato de Jair Bolsonaro e em particular na figura do próprio e seus apoiadores, reforça e parabeniza a fascistização da nossa população, mascarando o fascismo de seus atos e política com a alcunha de patriotismo. Tais medidas, falas e atos nos levam a próxima etapa, o golpismo, gerado e incentivado desde meados de 2016 no golpe que Dilma Rouseff sofreu e é amplificado nas ruas em todos os dias de mandato do atual governo com ameaças às instituições democráticas, os poderes constituintes e, recentemente, após a sua derrota via votações democráticas e legítimas o golpismo propagado por este setor fascista de nossa nação incentiva e financia pessoas alienadas e tragadas pelo fascismo a estarem nas ruas e em frente a quartéis do exército brasileiro, pedindo de forma vergonhosa que um golpe militar seja perpetrado contra nossa nação, instigando a radicalização daqueles mais alienados e fascistizados a, se necessário, pegar em armas e lutar contra um inimigo imaginado no seio da ideologia fascista que prefere desenhar um alvo nas costas da população e esconder o real motivo da crise econômica, política e social brasileira: O CAPITALISMO.

Frente aos fatos ocorridos desde o segundo turno das eleições brasileiras, é compreensível que tanto a militância já organizada, quanto os brasileiros e brasileiras indignados sintam necessidade de confrontar tais indivíduos golpistas e fascistas presentes nos atos, porém, reforço o pedido de organização, com trabalho conjunto de disseminação de consciência de classe e enfrentamento planejado do fascismo avançaremos mais rápido e de forma mais contundente sobre a parcela da população que de forma alienada compondo as fileiras do movimento fascista que tenta ameaçar a democracia brasileira.

Insisto no pedido de organização para encerrar a exposição da realidade crítica em que nos encontramos como nação. O golpismo fascista alimentado pelo governo de Jair Bolsonaro e embalado por empresários e latifundiários que financiam a propagação do fascismo na nossa sociedade não deve ser enfrentado de forma individual e sim de forma conjunta e organizada. Busque o contato da Unidade Popular no seu Estado ou Município. 

Organize-se contra o fascismo! 

“Os inimigos de um povo são aqueles que os mantêm em ignorância. – Thomas Sankara

Pátria ou Morte
Venceremos!!!

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes