UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 26 de maio de 2024

Trabalhadores de aplicativos realizam manifestação exigindo direitos em Porto Alegre 

Ato faz parte da mobilização nacional que teve como principal pauta o reajuste da categoria, que há anos sofre com a precarização e falta de direitos. 

Redação Rio Grande do Sul


TRABALHADOR UNIDO – Na tarde do dia 25 de janeiro, em Porto Alegre, ocorreu a paralisação dos trabalhadores de entrega por aplicativo. Essa atividade contou com centenas de trabalhadores e fez parte de uma mobilização nacional. A principal pauta foi o reajuste da categoria, que há anos sofre com a precarização e a falta de direitos. 

O ato iniciou com a fala dos representantes da Associação dos Ciclo-entregadores do Rio Grande do Sul e de apoiadores presentes. O Jornal A Verdade entrevistou Anderson Panasiuk e Talisson Vieira, membros da Diretoria da ACERGS.

Segundo Anderson, o ato tinha como prioridade reivindicar o reajuste das taxas mínimas, que atualmente são de R$6,00 por entrega, e duplas, onde o entregador realiza duas entregas, mas recebe só por uma, além de uma apólice de seguro funcional em caso de acidente e maior tolerância nas entregas de bicicleta.

Talisson alerta também sobre a venda casada da bicicleta elétrica vermelha do próprio iFood, na qual o entregador acaba sendo obrigado alugar a aderir o iFood Pedal, tendo em vista que estes acabam recebendo pedidos de menores distâncias em comparação com os adeptos do modal Bike Normal.

Panasiuk ainda destaca que o surgimento da ACERGS é uma forma de chamar os entregadores para se organizarem frente às plataformas que tem monopolizado o mercado de trabalho com uma falsa premissa de que o trabalhador é dono do próprio horário, patrão de si mesmo, quando na verdade estão explorando as pessoas que estão à margem do desemprego.

A Unidade Popular (UP) e o Movimento Luta de Classes (MLC) participaram do processo de mobilização e do ato. Essa mobilização revela que a luta da classe trabalhadora avança no Sul. Carlos Vieira, da Unidade Popular, prestou solidariedade aos trabalhadores e ressaltou que as grandes plataformas têm ficado milionárias enquanto os trabalhadores de aplicativos têm sido os mais afetados com a retirada dos direitos trabalhistas.

Foto: Gustavo Ramos

Foto: Gustavo Ramos
Fotos: Gustavo Ramos

Outros Artigos

  1. As greves dos trabalhadores de aplicativos crescerá muito neste ano. Essas greves serão os ingredientes para a futura união da classe trabalhadora. Parabéns à UP e ao MLC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes