UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 7 de fevereiro de 2023

UJR do Alto Tietê realiza ativo de organização

A reunião teve como objetivo aprovar a formação de mais dois núcleos na região e planejar as próximas lutas

Nathalia Vergara


MOGI DAS CRUZES – No ativo, foi realizado o estudo “O núcleo de base é o mais importante organismo da UJR” e aprovado a criação de um núcleo em Poá, além da formação de mais um núcleo em Mogi das Cruzes, totalizando quatro coletivos na região do Alto Tietê.

Os militantes saudaram o crescimento do movimento, que veio em consonância com o crescimento da Unidade Popular (UP). Os presentes reforçaram, também, a importância de um movimento de vanguarda para a conscientização da juventude na luta por seus direitos e pela construção do socialismo.

Dentre as principais reivindicações da região estão a atuação nos bairros, em especial os periféricos; valorizar a cultura popular, por meio de cine debates e batalhas de rima; ampliar o diálogo com a juventude que cresceu dentro de instituições religiosas; e desenvolver atividades que possam conscientizar os jovens na luta feminista, além de organizar mais mulheres na UJR.

A saúde mental dos militantes também foi um dos principais pontos debatidos no ativo, entendendo que o autocuidado para evitar sofrimentos psíquicos, como depressão e ansiedade, e evitar o uso de drogas como forma de alienação aos sofrimentos oriundas do sistema capitalista também é uma tarefa revolucionária. Ir à terapia, realizar atividades físicas e discutir problemas pessoais dentro do coletivo foram atitudes incentivadas pelo ativo.

A análise de conjuntura regional também incentivou a continuação de algumas de nossas lutas, como a permanência da UJR nas escolas estaduais e no Instituto Federal de Suzano, criticando o ensino desigual que funciona atualmente; denunciar o Plano Municipal de Educação aprovado pela Câmara de Mogi das Cruzes no ano passado, que retira pautas relacionadas à diversidade nas escolas; a luta pelo passe livre irrestrito; denunciar e combater as ações de fascistas na região, mantendo-nos vigilantes, principalmente devido ao governo Tarcísio e a tentativa de golpe que ocorreu em 8 de janeiro, em Brasília; etc.

Compreendendo a importância do estudo atrelado à prática, também foram recomendados o planejamento de cursos de formação ao longo do ano e a realização de alguns estudos – individuais e para reuniões como “O Dirigente Comunista se Forja Todos os Dias”, do Diógenes Arruda, e estudos sobre a pasta de finanças.

Apesar do crescimento e das inúmeras lutas que podem e devem ser pautadas, a região compreende que a única solução para os problemas da juventude se dá pelo fim do capitalismo e pela construção do socialismo, desta forma, o ativo serviu apenas como um organizador, mas é por meio dos núcleos, com um debate pautado no centralismo democrático, que nossas lutas serão organizadas. É preciso manter cada coletivo formado e que ainda irá se formar como máquinas com funcionamento próprio.

Será através das ações de cada núcleo e com atividades de agitação e propaganda que realizaremos nosso primeiro passo para a revolução: continuar crescendo até ter um núcleo em cada cidade, em cada bairro, em cada escola, formando jovens cada vez mais preparados para se tornarem futuros quadros.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes