UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sexta-feira, 21 de junho de 2024

Policiais torturam em abordagens no litoral do Paraná

PM tortura pessoas no litoral do Paraná. Casos ocorreram durante o mês passado e vieram à tona por gravações. Violência policial vem crescendo no estado do Sul.

Gabriela Torres | Curitiba


BRASIL – Cinco policiais militares são investigados por torturarem durante abordagens. A denúncia veio à tona no último dia 14, graças às gravações feitas nos celulares apreendidos. O crime aconteceu em Pontal do Paraná, no litoral do estado.

As gravações foram feitas no celular de um dos criminosos, e mostra a vítima sofrendo espancamentos e choques. Testemunhas relataram também que os policiais obrigaram o torturado a cheirar cocaína.

Dois dos cinco policiais já eram alvo de investigação do Ministério Público por porte irregular de armas. Os réus agora respondem pelos crimes de tortura, invasão de domicílio e abuso de autoridade.

Para o Ministério Público, os indícios de ilegalidade são claros. Os policiais cometeram as atrocidades dentro da casa da vítima em questão, entraram sem mandato e sem seguir as condições estabelecidas em lei.

Violência policial cresce no Paraná

O crime acontece em um contexto maior de violência e impunidade das autoridades. Os casos registrados de morte por violência policial no Paraná aumentaram 9,74% de 2021 para 2022, totalizando 417 mortes. A capital curitibana é a cidade com mais registros de morte por confronto no estado, seguido por Londrina e São José dos Pinhais, respectivamente.

O aumento dos casos de violência possuem uma relação direta com o perfil da população paranaense. O Paraná é o estado com maior população negra da região Sul do país, com 30% de autodeclarados como pretos e pardos – quase um terço da população. De acordo com o Fórum Anual de Segurança Pública, 72% dos homicídios no país, em 2022, foram de pessoas negras, e a população racializada ocupa 67,5% dos encarcerados hoje nos presídios.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes