UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 16 de abril de 2024

Empresários aumentam o preço da passagem de ônibus na Região Metropolitana de Natal

Empresários do transporte aumentaram em 8,74% a tarifa dos ônibus intermunicipais e metropolitanos de Natal. Ônibus continuam circulando em poucas linhas, superlotados e com atrasos.

Augusta Rocha e Norton Duarte* | Natal 


BRASIL – Neste sábado (15), foi noticiado através do Departamento de Estradas e Rodagens do Estado (DER), o reajuste de 8,74% na tarifa dos ônibus intermunicipais e metropolitanos de Natal/RN. Essa medida vai atingir a população de diversas cidades na região metropolitana como Parnamirim, Nísia Floresta, São Gonçalo do Amarante, Extremoz, Macaíba e Ceará-Mirim.

Isso significa que os preços das passagens foram fixados e vão custar (dependendo da distância e das localidades) os seguintes valores: R$ 4,60, R$ 4,85, R$ 5,90, R$ 6,45, R$ 7,10 e R$ 8,10.

A nota do Departamento de Estradas e Rodagens destaca que o aumento aconteceu devido ao estudo solicitado à Fundação de Amparo à Promoção da Ciência Tecnologia e Inovação do RN (FAPERN) pelo Grupo de Trabalho (GT) instituído para analisar a situação dos transportes da Grande Natal.

Empresários querem aumentar seus lucros 

Esse grupo de trabalho achou necessário o aumento para evitar “um colapso do sistema de transporte intermunicipal e metropolitano”. No estudo consideraram o custo de operação das empresas, que contou com aumento, desde 2018, no preço do combustível (97,92%), pessoal (27,04%), valor dos veículos (50,01%), além da inflação acumulada no período (27,12%). Além disso, os empresários alegam que não há reajuste na tarifa desde 2018.

Nesse contexto, a medida da Gestão Fátima Bezerra (PT) sob o Governo do RN, consistiu em autorizar o aumento da tarifa e ainda absorver cerca 15,74% com a concessão de subsídios – isentando o ICMS (Imposto sobre circulação de Mercadorias e Serviços) para a compra de novos veículos para frotas intermunicipal e metropolitana, além de manter a desoneração do ICMS no Diesel.

Uma das condições impostas pelo Estado foi a aquisição de novos veículos pelas empresas, dentre elas a Trampolim e Litorânea estarão com 20 ônibus novos em circulação e mais 25 chegarão até julho, enquanto a Guanabara já encomendou 20 carros novos, que também estarão nas ruas até julho. 

O discurso de colapso no sistema de transporte sem isenção, de prejuízo dos empresários e da promessa vazia de aumento da frota não condiz com a realidade. Entre os anos de 2020 e 2023, os empresários de ônibus que atuam em Natal e na região metropolitana economizaram, pelo menos, R$ 50 milhões com a desoneração do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o diesel. A partir de dados da própria Secretaria de Tributação do Estado do Rio Grande do Norte.

População sofre com abusos

Superlotação; engarrafamento; redução de linhas sem aviso à comunidade; tarifas caras. A situação da mobilidade urbana em Natal/RN é extremamente precária, no entanto essa situação fica ainda pior para os habitantes das cidades próximas de Natal, na chamada Região Metropolitana. 

Centenas de pessoas de Parnamirim, Nísia Floresta, São Gonçalo do Amarante, Extremoz, Macaíba, Ceará-Mirim, São José do Mipibu, Coqueiros, Barra do Rio e Monte Alegre enfrentam todos os dias o deslocamento para Natal, seja para trabalhar, estudar ou resolver situações que necessitem.

Esse deslocamento, no entanto, é realizado através dos ônibus intermunicipais que possuem uma tarifa cara variando de R$4,40 até R$8,00 (dependendo do destino, esses valores para respectivamente São Gonçalo do Amarante e Monte Alegre).

Além da  tarifa alta para um simples deslocamento, os passageiros lidam com os problemas da falta de mobilidade urbana e planejamento em Natal/RN. A recente obra na Ponte Newton Navarro (popularmente ponte velha) somado com a retirada de linhas municipais pelo Sindicato dos Empresários de Transporte (SETURN), agravou o congestionamento e condições de deslocamento até as áreas centrais de Natal. 

Saída é a estatização de todos os meios de transporte coletivo

Enquanto a população sofre diariamente e terá que pagar valor maior na tarifa, os empresários do transporte acumulam débitos dessas empresas já inscritos na dívida ativa do Município, do Estado e da União no valor de R$ 160.350.820,03 e ainda recebem isenção de imposto do Governo do Estado. 

Nesta quinta-feira (13/04), o consultor jurídico do SETURN alegou “iminente falência do setor” e disse que seria necessário R$ 3 milhões por mês de subsídio destinado às empresas para supostamente corrigir os problemas, ou seja, quando há lucro, vai para o bolso dos empresários, mas quando ficam em dívida, nós que pagamos.

A saída para os problemas da mobilidade urbana em Natal e  na Região Metropolitana não será resolvido beneficiando os empresários que causam esses problemas e onerando o povo trabalhador com uma tarifa ainda mais cara. 

É preciso defender a estatização de todos os meios de transporte coletivo. O transporte precisa deixar de ser uma mercadoria utilizada para enriquecer os grandes empresários do setor e passar a ser um serviço que tenha, como objetivo principal, garantir uma plena mobilidade urbana para o povo.

*Militantes da Unidade Popular São Gonçalo do Amarante (RN)

Outros Artigos

1 COMENTÁRIO

  1. Exploração, na cara dura! COVARDES!

    Se esses reajustes acompanhassem as oportunidades de emprego e salários-mínimos dos moradores da região metropolitana não ia ter aumentos, mas redução, porque os empregos se concentram em Natal, lá as passagens são bem mais acessíveis, já quem mora no país Parnamirim e outros, estão todos FERRADOS!

    As pessoas já vivem isoladas nessas regiões, não há acesso a cultura, não há lazer, não há esporte, não há porra nenhuma! Muito menos oportunidades de melhorar de vida! É assim que o estado do RN acredita que vai crescer? COMO PROSPERAR NUM ESTADO QUE SÓ PREJUDICA O CIDADÃO COMUM? Nem contrapartida oferecem, absolutamente nada. Isso é ruim para todos, já que vai inchar Natal, ninguém quer ficar morando longe e pagando caríssimo para se deslocar o tempo inteiro. Está na hora de se unir Natal x com as demais regiões do RN ou estamos realmente em países diferentes dentro do Brasil. Inaceitável!

    SOLUÇÕES:

    1. Integrar os ônibus do estado do RN como um todo, realizar união dos transportes e torná-lo unificado, único, acabar com essa divisão estúpida e cara dentro do RN. Se não aceitarem, coloquem pra fora todos que são contrários e fechem essas empresas gananciosas.

    2. Trazer investidores, nem que seja da China ou da lua. Inclusive deve haver grandes investidores dentro do próprio Brasil que poderiam contribuir para melhorar o sistema de transporte, através de negociação e até mesmo disponibilizar essas empresas no mercado de investimento, digitalizar tudo e levar isso a quem tem recursos, melhorar gestão financeira dessas empresas de ônibus, já que os atuais não tem capacidade de gerir nada, querem lucro mesmo sem honrar com suas dívidas.

    3. Vender essas empresas de ônibus para estrangeiros, como chineses, alemães etc. Tenho certeza que eles farão melhor serviço do que esses incompetentes que destroem o bolso dos cidadãos humildes.

    4. Expor e viralizar nas redes a situação de exploração que a população dos arredores da cidade de Natal enfrentam. Exigir responsabilização e mudanças.

    5. Governo do RN, Prefeituras e seus prefeitos, Seturn, DER não poderiam ter aceitado essa ousadia dos empresários. Ofereçam para eles a possibilidade de saírem da administração do transporte público e deem a chance para outros que saibam melhor tratar a população trabalhadora que necessita de ônibus.

    6. Tomar vergonha na cara. Saibam as consequências desse aumento das tarifas: Pessoas não conseguirem serem empregadas por gastar muita passagem para chegar ao trabalho; empregador não querer trabalhador que mora longe e chega atrasado; mais miseráveis dependendo de bolsa miséria do Governo Federal, mais desocupados e maior criminalidade. Querem mais?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes