UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

segunda-feira, 15 de julho de 2024

A Unidade Popular é construída por todes, não por alguns

Desde o ano passado, há um avanço na propaganda comunista na internet, o que é positivo. Mas o crescimento traz, também, alguns problemas que precisam ser resolvidos. É necessária mais rapidez na formação e a organização dos núcleos de base para que as centenas de novas e novos filiados possam contribuir e discutir o trabalho do partido.

Sued Carvalho | Vice-presidenta da UP-CE


BRASIL – Desde o ano passado, há um avanço na propaganda comunista na internet, o que é positivo: um número cada vez maior de jovens (principalmente) tem se interessado pelas ideias de Marx, Engels e Lênin, apesar da sufocante contrapropaganda neoliberal. Muitos e muitas têm se organizado para lutar, de fato, pela superação do sistema capitalista e buscado a Unidade Popular, assim como em outras organizações. 

Apesar de ainda não ser protagonista, é inegável que o socialismo cresce! Mas o crescimento traz, também, alguns problemas que precisam ser resolvidos. É necessária mais rapidez na formação e a organização dos núcleos de base para que as centenas de novas e novos filiados possam contribuir e discutir o trabalho do partido. Essas urgências são reconhecidas pela Unidade Popular e lutamos, diariamente, para saná-las.

Vindas, muitas vezes, das redes digitais, as novas e os novos camaradas encontram um partido com problemas reais, com limitações concretas e desigualdades nos níveis de consciência entre companheiros e companheiras. Deparam-se com choques geracionais, deficiências teóricas em alguns temas, entre outros. Estas são questões que todas as organizações marxistas-leninistas encontraram na história, faz parte da dialética e do processo de crítica e autocrítica que nos guia. No entanto, diante das contradições reais e inevitáveis – mas necessárias –, essa nova leva de militantes pode recorrer às redes digitais para apresentar ali, em público, problemas partidários.

Essa atitude deve ser entendida, uma vez que as redes digitais são um fenômeno de nossa época e uma das principais formas de comunicação. Contudo, é necessário dizer: 1) As redes digitais não são espaços propícios para um debate produtivo, pois rapidamente outro assunto se sobrepõe àquele, como também expõe ao inimigo de classe, aos rivais políticos do socialismo, as fragilidades da organização, além de gerar riscos à segurança da militância e passar a impressão de falta de coesão e de desorganização; 2) A Unidade Popular é formada por nós. A postura de “O Partido tem esses problemas e deve resolvê-los” traz em si a ideia equivocada de que quem faz a crítica não se vê como parte da organização em sua dinâmica.

Companheiras e companheiros, a Unidade Popular tem problemas e nós devemos resolvê-los. 

Os espaços de debate e crítica existem: reuniões dos núcleos, plenárias, cursos de formação, etc. Nesses espaços há momentos de fala, propostas, críticas e discussões que devem ocorrer e são incentivadas. Algumas vezes, relutamos em colocar nossas discordâncias ali, onde, de fato, elas poderiam resultar em resolução dos problemas, preferindo praticar conversas de corredor que atacam nossa coesão política e, pior, não contribuem em nada para que o partido se desenvolva, afinal, o problema não é resolvido se os dirigentes eleitos não conhecem as angústias. 

É necessário também compreender que os responsáveis pelos núcleos, os diretórios e comissões da Unidade Popular possuem diversas responsabilidades, sendo vital também a disposição em ajudar a resolver o problema efetivamente por parte de quem apresenta a crítica, não apenas apresentando o problema, mas opinando como isso poderia ser resolvido. 

A ideia de que “Isso é função do responsável, ele que resolva”, ou “Que tenho a ver com isso? Não é responsabilidade minha, é de camarada X” ou ainda “O diretório que veja…” é uma expressão do burocratismo e do individualismo, tendências que devemos combater.

O partido é construído coletivamente, os companheiros e companheiras que pegam responsabilidades formais respondem por elas, contudo, estas responsabilidades são compartilhadas por todes.

Camaradas, a Unidade Popular é formada por todes! Esforçamo-nos em construir um partido realmente democrático, que forneça espaços para que discussões produtivas, com críticas e autocríticas, levem a melhorias na nossa organização e nas lutas das quais participamos.

Evidentemente que há muito a ser feito ainda neste sentido e, portanto, superemos a ideia de que a Unidade Popular é construída por alguns! A Unidade Popular é uma construção coletiva!

Matéria publicada na edição impressa nº271 do Jornal A Verdade.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes