UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 14 de abril de 2024

MLC lança chapa para disputar eleições da Apeoesp

MLC lança chapa histórica para as eleições da APEOESP. Chapa “Luta de Classes” reúne professores e professoras de várias partes do estado de SP na defesa da educação pública, gratuita de qualidade e com valorização profissional.

Movimento Luta de Classes | São Paulo


TRABALHADORES UNIDOS – Após seis anos, o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) realizará suas eleições para troca de gestão, tanto em nível estadual quanto regional, no dia 26 de maio. O sindicato reúne 180 mil associados, sendo o maior sindicato da América Latina, representando a categoria de professores e professoras.

Diante da importância do ensino de qualidade para os trabalhadores e do papel fundamental que a educação cumpre na forma de organização da sociedade, o Movimento Luta de Classes (MLC) lança a chapa “Luta de Classes” (Chapa 3) para disputar as eleições, com apoio da Unidade Popular (UP). 

Nos últimos quatro anos, a educação foi declarada inimiga número um daqueles que querem manter os seus privilégios. De acordo com o Observatório do Legislativo Brasileiro, a educação foi a área mais afetada pelo Governo Bolsonaro, tendo cortes bilionários nos investimentos no ensino básico e superior.

Apoiado pelo ex-capitão, o atual governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, segue a mesma política de sucateamento, planejando entregar a educação pública para a iniciativa privada e aumentando ainda mais a exploração dos trabalhadores e trabalhadoras. De acordo com Karol Vilela, candidata à presidência da Apeoesp pela Chapa 3, “nós, professores, sentimos na pele as consequências do sucateamento da educação. A carga horária de trabalho é maior, nossos salários valem cada vez menos e muitos dos direitos que tínhamos foram retirados. Estamos há dez anos sem concurso público, sendo que a maioria da nossa categoria já é de professores contratados, ou seja, não concursados”. Na avaliação da professora, a falta de concurso público, além de piorar as condições de trabalho, também serve para desmobilizar e dividir a categoria. “Nossa chapa defende a abertura imediata de concurso público para todos os trabalhadores da educação. Além disso, os professores temporários devem ter os mesmos direitos que os efetivos”, completa Karol.

Para enfrentar os retrocessos e respondê-los a altura, Lara Amaral, professora da Zona Leste de São Paulo e integrante da Chapa Luta de Classes, diz que, “só com a organização e a mobilização dos professores, poderemos virar o jogo. Precisamos de um sindicato forte, que organize a luta da categoria por melhorias no nosso dia a dia”. A proposta da chapa é a mudança da Apeoesp, para que esta seja construída coletivamente com a máxima participação da base. “Sindicato tem que estar presente no dia a dia da categoria, dialogando, promovendo assembleias e debates. Desse modo, podemos impulsionar as lutas”, acrescenta.

Os professores possuem um grande histórico de luta. Muitas vitórias foram conquistadas através de mobilizações, greves e manifestações, sendo exemplo para toda a sociedade. Segundo Thais Gasparini, professora do ABC Paulista, “é possível a gente reverter essa situação. Já garantimos muitas vitórias durante a nossa história. Devemos transformar nossas escolas em trincheiras de luta e união contra o governo do Tarcísio e em defesa de uma educação transformadora e de qualidade. Para isso, um sindicato com luta de classes em defesa dos trabalhadores e da educação faz diferença”. 

A Chapa 3 – Luta de Classes é a chapa das professoras e professores que estão na luta todos os dias, dentro das salas de aula. Com representatividade na Capital, Região Metropolitana e no interior, é uma chapa combativa, composta majoritariamente por mulheres, que representa a indignação dos professores. João Suzigan, professor de Campinas, convida “todas as professoras e professores a construírem essa campanha popular junto com o MLC e a UP. Temos grandes desafios, mas o nosso objetivo principal é apresentar essa alternativa de luta para a superação dos nossos problemas para a nossa categoria. Lançamos chapas para disputa das subsedes também. Estamos animados e dispostos!”.

Para além da Diretoria Estadual Colegiada, a chapa também disputará os conselhos nas seguintes subsedes: Santo André, São Bernardo do Campo, Diadema, Vila Prudente, Norte Santana, Campinas e Santo Amaro.

Matéria publicada na edição impressa nº271 do Jornal A Verdade.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes