UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

segunda-feira, 20 de maio de 2024

Ativo de Agitação e Propaganda reúne dezenas de militantes em SP

Amanda Alves | São Paulo


IMPRENSA – No dia 21 de maio de 2023, foi realizado um Ativo Estadual de Agitação e Propaganda em São Paulo, que reuniu dezenas de militantes com representações de mais de dez cidades, desde a capital, interior e litoral. A atividade fez parte de um calendário de reuniões nacionais e regionais para reafirmar a importância e o papel do jornal A Verdade como imprensa popular e revolucionária no Brasil, marcando o primeiro ano de periodicidade quinzenal. Além disso, a atividade teve como objetivo aprofundar a formação da militância e elaborar as próximas tarefas em torno da difusão da imprensa entre a classe trabalhadora e a juventude. 

No período da manhã, foi estudado o texto “O jornal bolchevique Pravda”, retirado do livro História do Partido Comunista Bolchevique da URSS, das Edições Manoel Lisboa. Com esse estudo, foi possível conhecer mais o papel histórico do jornal Pravda na construção das campanhas políticas contra o governo czarista na Rússia, na organização dos operários russos em busca de melhores condições de trabalho e no papel ideológico da construção de uma organização política revolucionária forte e coesa.

No período da tarde, foram dados os informes municipais, estaduais e nacional sobre o trabalho com o jornal. A militância pode, então, discutir o histórico da construção do trabalho de agitação e propaganda no Estado de São Paulo, a avaliação das brigadas nacionais, a prioridade com o jornal impresso, as ações nas redes digitais e o crescimento do Partido como fruto de toda essa atividade política no seio do povo.

O espírito do plenário foi de muita animação com as avaliações, especialmente com a consolidação do jornal quinzenal, o grande aumento na tiragem de exemplares impressos no estado e a construção de uma grande rede de apoiadores, com núcleos de audiovisual, de fotografia, de designers e de redação.

Nesse sentido, a militância também propôs e discutiu a necessidade de ousar ainda mais e aprovou a meta de chegar a uma tiragem de 10 mil exemplares impressos até dezembro e a participação de 500 militantes já na primeira brigada nacional do mês de julho.

Compreendendo que vivemos em uma sociedade capitalista e injusta, de ganância dos ricos, na qual os meios de comunicação estão sob controle da burguesia e são utilizados apenas para seus interesses, e não do povo trabalhador, todos saíram com uma compreensão mais madura sobre o papel da agitação e da propaganda como a principal tarefa do momento para a construção do processo revolucionário no Brasil.

Matéria publicada na edição nº 273 do Jornal A Verdade.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes