UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 28 de maio de 2024

Estudantes elegem nova direção do DCE UFRJ com votação expressiva

Na última semana foi realizada a eleição do Diretório Central dos Estudantes da UFRJ. A Chapa 1 “Nós na UFRJ: Ousadia para Avançar”, formada pelo Movimento Correnteza e a UJC, foi eleita com 55,1% dos votos.

Redação Rio 


JUVENTUDE – Entre os dias 26 e 28 de Setembro foram realizadas as eleições do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal do Rio de Janeiro. A Chapa 1 “Nós na UFRJ: Ousadia para Avançar”, composta pelo Movimento Correnteza, pelo MUP e estudantes independentes, foi eleita com 3777 votos (55,1%). A eleição contou ainda com outras duas chapas. A Chapa 2 ficou com 25,1% e a Chapa 4 com 19,8%. 

A Chapa 1, que contava com mais de 1800 estudantes apoiadores, presentes em todos os campi da universidade e também na modalidade EaD, foi a mais diversa do processo. Essa composição reflete o trabalho diário do Movimento Correnteza na Universidade, a partir das últimas gestões do DCE e da atuação em diversos Centros Acadêmicos, atléticas, coletivos e iniciativas estudantis.

Após uma série de consultas e debates aos estudantes dessa modalidade, essa foi a primeira eleição em que os estudantes do EaD participaram da votação. Essa histórica participação mostra o compromisso do DCE da UFRJ na ampliação da democracia da entidade, que busca ainda criar nessa próxima gestão uma diretoria dos estudantes do semipresencial.

Durante a última gestão – “É Tudo pra Ontem” – o DCE da UFRJ pautou a luta contra o fascismo de Bolsonaro, em defesa da educação pública, contra a privatização da universidade e por mais assistência estudantil. A luta conquistou o descongelamento de verbas, aumentos nos auxílios, ampliando a luta por mais bandejões na universidade e criando uma diretoria de inclusão e acessibilidade, formada por estudantes com deficiência.

A eleição também foi marcada por importante participação estudantil, contando com expressiva votação nos campi do Interior e em diversos cursos nos campi da capital.

Para Henderson Ramon, estudante da Escola de Belas Artes (EBA) e integrante da Chapa 1, “a eleição foi um momento muito importante para a mobilização dos estudantes. Nossa chapa foi a mais diversa e presente em todos os espaços da universidade. Este resultado é a realização deste trabalho.”

Jornal A Verdade conta com muita adesão entre estudantes e servidores da UFRJ. É comum os eventos da universidade contarem com a presença de brigadistas. Foto: Júlia Villar/JAV

Ataques vândalos ao Jornal A Verdade

Essa eleição, infelizmente, foi marcada por diversas práticas de fake news, difamação e de despolitização por parte das outras chapas. Um mural do Jornal A Verdade foi vandalizado num ataque de caráter reacionário contra a imprensa popular. O fato ocorreu no campus da Praia da Vermelha durante o processo de campanha.

Apesar de não se saber a autoria dos ataques, foi também uma tentativa de intimidar a imprensa independente, Isto num espaço onde os órgãos de mídia populares sempre tiveram muita adesão, fosse a própria mídia impressa, como o nosso jornal, ou outros meios de comunicação.

Mas o clima de ataques não pôde afastar o corpo discente do debate central da eleição: ampliar a luta pela permanência estudantil e pela recomposição do orçamento da universidade. 

É a avaliação de Henderson Ramon também. “Depois de um ano de muitas lutas contra os ataques à nossa universidade e à educação, mas também de muitas conquistas, precisamos avançar nossa luta por auxílios, permanência e estrutura”, afirmou.

Henderson Ramon, estudante da Escola de Belas Artes, na Ilha do Fundão, conversou com o Jornal A Verdade. Foto: Júlia Villar/JAV
Votação contou com participação de milhares de estudantes de todos os campi e da modalidade semipresencial. Foto: Júlia Villar/JAV

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes