UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 22 de junho de 2024

Centro da cidadania LGBT em Natal completa 3 anos

Entrada interior do centro LGBT de Natal. Foto: Reprodução/SaibaMais.

O Centro de Cidadania LGBT de Natal completa 3 anos de sua existência nesta sexta-feira (29). Hoje, o centro é um local de assistência para a população LGBT da cidade.

Samantha Araújo* | Natal


Nesta sexta-feira (29), o centro de cidadania LGBT completa 3 anos de existência e de muita resistência, perpassado por ataques nazifacistas que ameaçaram a sua destruição, a materialização dessa política pública ocorreu 3 anos atrás, fruto da luta do povo LGBTI+ de Natal, capital do Rio Grande do Norte.

 Em um contexto de violência contra pessoas que dissidem da norma hetéro cisgênera,  o estado assassina e nega direitos fundamentais à população. 

O centro LGBT, localizado na avenida Nascimento de Castro em lagoa nova, cumpre papel primordial na assistência social, a partir da cobrança e garantia de moradia, comida, auxílios governamentais entre outros princípios básicos garantidos pela constituição de 1988, além de acolhimento psicológico e encaminhamento numa realidade em que a exclusão social ocasiona dor e sofrimento no processo de saúde e doença dessa população. 

A partir do mapeamento feito pela equipe de trabalho do Centro LGBT, 71,9% da população LGBT que acessa esse serviço relatam ter sofrido violência, destes, apenas 10,1% fizeram o registro nos órgãos de segurança pública. Além disso, 47,3% encontra-se em situação de desemprego e 36% sobrevive com uma renda familiar de até um salário-mínimo. Apenas 13,8% das pessoas que informaram a escolaridade, possuem ensino médio completo e 8,9% teve acesso ao ensino superior.

Assim, para haver a base para criar novos horizontes  para comunidade LGBT é necessário lutar não só pela permanência de espaços como esse, mas ir para um outro sistema que não sejamos explorados pelo capital. Para isso, a Unidade Popular pelo socialismo (UP) partido mais jovem deste país legalizado em 2019, luta pela vida das pessoas LGBTI+.

*militante da Unidade Popular

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes