UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 2 de março de 2024

Prisão injusta de militantes da UP repercute internacionalmente

Leia também

Prisão política ocorrida nesta quarta (06) dos quatro militantes da Unidade Popular repercutiu em vários órgãos da imprensa popular e organizações de esquerda de várias partes do mundo. Todos apontaram a violação do direito de manifestação cometido pelas ações arbitrárias da PMSP.

Felipe Annunziata | Redação


BRASIL – Com a prisão política de Vivian Mendes, presidenta da UP-SP, Ricardo Senese, Hendryll Luis, Lucas Carvente, também militantes da UP, ontem (6), ficou evidente o caráter fascista e entreguista do governo de Tarcísio de Freitas. A militância da UP apenas se manifestava contra a venda da companhia de água e esgoto de São Paulo, a Sabesp, quando foram agredidos brutalmente e presos injustamente pela Polícia Militar no plenário da Assembleia Legislativa.

Esse ataque aos direitos da classe trabalhadora logo tomou repercussão internacional através das redes digitais. Órgãos de imprensa e organizações políticas de países como Equador, México, EUA e Turquia, repercutiram os vídeos e matérias do Jornal A Verdade e da Unidade Popular.

O periódico estadunidense The Red Phoenix, repercutiu no Twitter a publicação da Unidade Popular denunciando as prisões arbitrárias e afirmou que a “Polícia Militar de São Paulo agrediu e prendeu ativistas da UP que estavam se manifestando contra a privatização da Sabesp. (…) UP está chamando todos os militantes e movimentos sociais e se manterem mobilizados.”

No Equador, o partido irmão da UP, o Unidad Popular – Lista 2, denunciou a prisão e pediu a liberdade imediata da presidenta estadual Vivian Mendes.

Também do Equador, a organização irmã da UJR, a Juventud Revolucionaria de Equador (JRE), aderiu a campanha pela libertação dos presos políticos.

Da Turquia, o diário Evrensel republicou um vídeo da Unidade Popular mostrando a agressão absurda PMSP, na legenda o jornal afirmou que “Socialistas que queriam organizar uma manifestação de protesto na assembleia estadual de São Paulo, onde foi realizada a votação pela privatização da água, foram espancados e detidos.”

A União da Juventude Revolucionária do México também se manifestou, pelo Instagram, em solidariedade e exigiu a libertação imediata e incondicional dos militantes presos.

Prisão política é demonstração da política fascista de Tarcísio de Freitas

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, através da Polícia Militar vem mantendo esta prisão arbitrária e política a quase 24 horas. Os militantes estão sendo encaminhados a uma audiência de custódia no Fórum da Barra Funda onde a militância da UP se concentra para exigir sua libertação.

Toda esta criminalização é a demonstração da política fascista do governo de SP, que quer a todo custo vender a empresa pública que garante o acesso de mais de 30 milhões de pessoas à água potável e serviços de esgoto e saneamento. Tudo isso para entregar esta indústria a um monopólio privado ligado ao capital estrangeiro e dar rios de dinheiro em forma de lucro a meia dúzia de bilionários.

Matéria em atualização.

 

More articles

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos