UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Apagões deixam moradores do Rio sem luz por vários dias

Leia também

A falta de luz que atingiu vários bairros da Zona Norte e Oeste da capital e ocorreu sem aviso prévio e de maneira aleatória, ao ponto de, na mesma rua, algumas casas possuírem energia e outras não.

Bayron Thadeus | Rio de Janeiro


BRASIL – Nas últimas duas semanas, milhares de moradores das Zonas Norte e Oeste do Rio, estão sofrendo diariamente com a interrupção do fornecimento de energia por parte da empresa Light, responsável pelo fornecimento de energia na capital fluminense e privatizada em 1996.  

Os moradores relataram que as quedas da energia elétrica ocorreram principalmente no início da noite e foram até a madrugada, causando um grande prejuízo ao sono e à saúde dos trabalhadores cariocas. Além disso, foram enormes os danos materiais causados à população, que sofreu com a perda de alimentos e eletrodomésticos que queimaram em função da instabilidade do fornecimento de energia. Danos estes, que não são recompensados pela empresa. 

A falta de luz que atingiu vários bairros dessas regiões ocorreu sem aviso prévio e de maneira aleatória, ao ponto de, na mesma rua, algumas casas possuírem energia e outras não.

No caso dos bairros da Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, a empresa privatizada Light afirmou que a falta de energia é resultado de um defeito em uma das linhas que abastece a região identificado após as chuvas do domingo, 14/01, e que realizará obras ao longo de 2024 para consertar essas linhas. 

Contudo, as chuvas fortes não são uma novidade no verão do Rio de Janeiro. Mesmo assim, essa concessionária que opera o fornecimento de energia a 28 anos parece que não conhece o clima do município, já que todos os anos os moradores dos subúrbios da cidade sofrem com esses apagões.       

A falência do modelo de privatização do serviço público

Em 2023, a Light S.A entrou em recuperação judicial após contrair uma dívida de mais de R$11 bilhões, a oitava maior recuperação judicial da história. Ademais, em fevereiro passado, a empresa que tem o bilionário Beto Sicupira (dono das Lojas Americanas) como um de seus principais acionistas afirmou que seu caixa não é suficiente para garantir sua sustentabilidade e culpou as chamadas “perdas não técnicas”, que seriam os furtos de energia, conhecido como “gatos”, como responsáveis por essa situação. 

O que a concessionária oculta, no entanto, é que boa parte das perdas financeiras causadas pelo furto de energia já são repassados para os consumidores cariocas que pagam altíssimas contas de luz. 

A Light é mais um exemplo de que a privatização dos setores estratégicos e do serviço público não visa promover uma melhora na qualidade dos serviços. Mas, ao contrário, visa apenas garantir o máximo de lucro possível para seus acionistas enquanto o povo trabalhador segue sofrendo com as constantes faltas de energia e pagando altas contas de luz.

More articles

  1. A privatização das instituições que produzem recursos primordiais para o funcionamento do País retira do povo o poder, deixando todo controle nas mãos da maquina capitalista. A mesma que não se importará com o sofrimento, com a desigualdade entre as regiões e classes. O objetivo será sempre o lucro, almejando cada vez mais.

    Quando terceiriza, consegue mobilizar com manifestação pois maior parte do poder de decisões são do corpo governamental. Agora, quando é privada e sem concorrência?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos