TwitterFacebookGoogle+

Volvere Vento estreia em São Paulo debatendo a sociedade através da exploração da mulher

volvere

Redação São Paulo

A próxima sexta-feira será a primeira dos três finais de semana da temporada em que o Grupo Talvez Elizabeth apresentará a peça Volvere Vento, no Teatro Experimental da Universidade Anhembi-Morumbi, no bairro da Moóca, em São Paulo.

A peça conta – ou deveria contar, segundo a sinopse oficial – a história de três prostitutas trabalhando em condições precárias, onde uma delas tenta sair dessa exploração, a mais grave e violenta contra a mulher e seu corpo. Mas o grupo não pretende apenas isso com o espetáculo, muito pelo contrário. A proposta é ir além.

Através da situação da mulher, o grupo levanta diversos temas como prostituição, trabalho escravo, manipulação midiática, abuso de poder e as opressões impostas às minorias.

Para complementar as impressões levantadas no espetáculo, as exibições às sextas-feiras começam uma hora mais cedo para dar tempo de realizar debates entre o grupo e os espectadores. Foi assim quando recentemente se apresentaram no CEU Heliópolis, em uma das maiores favelas do Brasil.

Durante o espetáculo diversas reações foram notadas, incluindo o assédio sobre as atrizes, por parte da platéia. A experiência de se apresentar para um público pouco acostumado ao teatro e sua linguagem se tornou ainda mais rica durante o debate, que contou com grande participação das mulheres da comunidade e também do ex-senador Eduardo Suplicy. Agora, levam a mesma proposta para dentro da universidade onde os(as) integrantes estudaram e o grupo se formou.

Composto exatamente por metade de integrantes mulheres e metade homens, o grupo Talvez Elisabeth apresenta grande sensibilidade para os problemas enfrentados pela mulher e, permeado pelo movimento feminista, constrói sua crítica à sociedade atual.

A peça é dirigida por Didio Gonçalves e conta com Renan Novais na dramaturgia. Amara Hartmann, Barbara Arakaki, Paloma Rodrigues e Anna Motta, junto com Caio Coppoli, formam o time de palco. Adler Henrique é o responsável pela direção musical. Thayse Sborowski e Sancler Pantano tomam conta da luz e do som. Esse time já conta com o prêmio de melhor atriz coadjuvante entregue a Barbara Arakaki na edição de 2016 do FESTTO (Festival Nacional de Teatro de Teofilo Otoni).

Esses são só os primeiros passos de um grupo que tem tudo para construir uma longa estrada de sucesso!

Informações
https://www.facebook.com/grupotalvezelizabeth
https://www.facebook.com/events/123292731457714

O espetáculo é gratuito, mas é preciso chegar com uma hora de antecedência para retirar os ingressos.

Datas: 9 e 10, 16 e 17, 23 e 24 de setembro de 2016.
Horários: 20 horas (sexta), seguida de debate após a apresentação e 21 horas (sábados).
Endereço: Teatro Experimental Anhembi Morumbi. Rua Doutor Almeida Lima, 993 – Mooca, São Paulo/SP. Próximo (cerca de 300m) da estação Bresser-Moóca do metrô.

Print Friendly
pvc_views:
409

1 comment

  1. Pingback: Red News | Protestation

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações