TwitterFacebookGoogle+

Viva o vigoroso movimento do povo iraniano

Nota do Toufan, Partido do Trabalho do Irã, organização marxista-leninista integrante da Conferência Internaicional de Partidos e organizações marxistas-leninistas sobre os recentes levantamentos populares no país.

 

 

A revolução é a parteira de toda sociedade antiga que está grávida de uma nova. O movimento de base no Irã, que está entrando em seu 5º dia, é uma expressão da rejeição popular à máfia criminosa no poder; um poder que não é responsável perante o povo, um poder que está tentando esmagar as massas atingidas pela pobreza.

Este é um movimento da sabedoria contra a ignorância, um movimento contra a pobreza, o desemprego, a corrupção, as fraudes envolvendo vários milhões de dólares por parte dos oficiais do governo, o saque da escassa poupança dos milhões de trabalhadores e a repressão política. Este é o grito de raiva de milhões de pessoas que aguentaram pacientemente há anos e agora desafiam o regime da República Islâmica e estão abalando sua base.

A revolta recente é a expressão da raiva acumulada e da insatisfação das massas pelas políticas econômicas neoliberais do regime. Essa raiva se acumulou nas últimas décadas.

O regime da República Islâmica intensificou a implementação dos ditames da Organização Mundial do Comércio, do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial. Por conseguinte, a condição econômica das massas diminuiu rapidamente, o nível de pobreza aumentou, a inflação disparou, o custo de vida aumentou acentuadamente, o poder de compra da população em geral diminuiu, o preço da água, gasolina, eletricidade, e o outro combustível aumentou.

Nos últimos anos, especialmente em 2017, houve muitas greves, manifestações e protestos dos diferentes setores da sociedade; operários, professores, aposentados, desempregados, enfermeiros, milhares de trabalhadores vítimas diretas de saque das suas poupanças bancárias, etc. Esperava-se que um protesto geral se desenvolvesse em resposta a essa condição.

Além disso, ainda há a intensificação da luta interior, a luta entre as facções do regime da República Islâmica. Os manifestantes colocaram essa luta interna a seu serviço e visaram atingir todas as frações da República Islâmica.

Todos os setores sociais e políticos da sociedade estão participando desses protestos. Dos Comunistas revolucionários, das massas comuns às forças organizadas, dos monarquistas aos Mojahedeen reacionários e pró-imperialistas e aos agentes individuais de sionistas e imperialistas. Essa revolta é espontânea, principalmente pela juventude, não tem uma liderança organizada neste momento. Apesar de todas as deficiências, essa revolta é uma expressão genuína do descontentamento geral da população de quatro décadas de domínio da República Islâmica. O movimento de protesto começou com demandas econômicas e está avançando em direção a questões políticas.

O Partido do Trabalho do Irã – TOUFAN glorifica o movimento justo e ousado do povo iraniano contra a República Islâmica que governa o Irã por quase quarenta anos usando a repressão e a violência extrema contra o povo. Insistimos na unidade das massas, unidade em uma posição mais clara contra as potências imperialistas agressivas e seus agentes que tentam frear e destruir o movimento.

Ainda não há sinal de aumento no número de operários nas ruas. Uma greve geral forçará o regime a recuar e proporcionará uma oportunidade para os manifestantes de rua continuarem protestando com um custo menor. O desequilíbrio das forças, a falta de uma organização política e liderança e o esgotamento das manifestações não produzirão uma condição a favor do movimento.

No Oriente Médio, os imperialistas dos EUA e os sionistas israelenses estão tentando penetrar em qualquer movimento contra os regimes que não se inclinam para seus ditames. E esse caso se aplica também a situação atual do Irã. A presença de agentes lacaios dos imperialistas dos EUA e dos Israelenses nos movimentos não expressa necessariamente a natureza unanime das manifestações. Na revolta atual no Irã, o papel desses agentes não é dominante. Este é um movimento espontâneo de baixo para cima e não de cima para baixo. Ao mesmo tempo, as forças comunistas, esquerdas e progressivas devem ser muito vigilantes e analisar as palavras de ordem errôneas dos movimentos paralelos que se expressam nas marchas e expõem a natureza delas às massas.

Se as demandas de “pão, trabalho, habitação, liberdade, justiça social e democracia” são mais claramente expressas e apoiadas pelas massas e as palavras de ordem em apoio à antiga monarquia hereditária já derrubada e as palavras de ordem que se comprometem com o regime atual são rejeitadas pelas massas, pode-se esperar, com o surgimento de forças revolucionárias em particular os Marxistas-Leninistas, que são os verdadeiros representantes das demandas populares mais radicais e que se opõem fortemente às intervenções imperialistas, que o movimento alcançará suas metas.

O Partido do Trabalho do Irã – TOUFAN pede que as massas nas ruas sejam vigilantes e evitem a violência prematura. Os agentes Imperialistas e os Sionistas não valorizam a vida humana, eles querem apenas atingir seus interesses exploradores. Todo chamado às massas deve ser cuidadosamente examinado e sua fonte seja investigada.

Os direitos à formação de organizações independentes, o direito ao emprego e habitação e seguro desemprego, a liberdade de associação e reunião, a separação da religião do estado e da educação, a abolição da segregação de gênero e os velos compulsivos e o código de vestimenta e a liberdade de todos os prisioneiros políticos são parte das exigências dos manifestantes de rua.

O Partido do Trabalho do Irã – TOUFAN dá todo seu apoio a essas demandas e acredita que nenhuma facção do regime islâmico tem a vontade de cumprir essas justas exigências populares.

O Partido do Trabalho do Irã – TOUFAN condena firmemente os assassinatos brutais contra os manifestantes e convoca os Partidos e Organizações fraternas a “Conferência Internacional de Partidos e Organizações Marxistas Leninistas – CIPOML” e as forças revolucionárias e progressistas e indivíduos para lutar e condenar a República Islâmica do Irã por seus crimes e exigir a libertação imediata e incondicional de todos os manifestantes detidos.

O CAMINHO PARA OS TRABALHADORES E AS TRABALHADORAS É A UNIDADE E A ORGANIZAÇÃO!

Partido do Trabalho do Irã – TOUFAN
1º de janeiro de 2018

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
209

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações