TwitterFacebookGoogle+

A História do Jornal Evrensel

Entrevista com Fatih Polat lançada na Edição nº 218 do Jornal A Verdade sobre o jornal diário da classe operária turca Evrensel.

Tradução: Thales Caramante 
Unidade Popular Pelo Socialismo


Foto: Evrensel



“O Proletariado é Universal” – Esse é o nosso slogan. Desde 1995, o Evrensel é um jornal diário da classe operária, de todo o povo pobre e oprimido. Nós, do jornal Evrensel, pensamos que poderia haver algo a dizer para os trabalhadores do mundo.

Aqui está a entrevista com o Editor-Chefe do Evrensel, Fatih Polat, sobre a história do jornal, publicada pelo jornal The Red Phoenix.

Em uma época em que a miséria, o terror, guerra, racismo, medidas reacionárias se espalharam, e as massas operárias saem às ruas com o desejo de um mundo novo, as perspectivas do crescimento da imprensa operária aumenta muito. Fizemos algumas perguntas ao Sr. Fatih Polat, redator chefe, sobre qual papel o jornal desempenhou nas lutas da classe trabalhadora desde a primeira vez em que surgiu a ideia da construção de um jornal diário dos trabalhadores na Turquia.


Foto: Evrensel


Você poderia nos contar um pouco da história do Jornal “Evrensel?” Como surgiu e como se desenvolveu? Por que a classe trabalhadora precisa de um jornal diário?

A ideia original para a construção do Jornal Evrensel veio à mente com a necessidade de um jornal diário para despertar e organizar o movimento operário na Turquia. As ações iniciadas pelos trabalhadores do setor público em março, abril e maio de 1989 não só desempenharam um papel no movimento operário, mas também desempenharam um papel na reorganização da oposição que era feita ao governo. Essas manifestações em massa entraram para a história como as “Ações da Primavera de 89”. O governo teve que aceitar as reivindicações da população e aumentou os salários em 140% no primeiro ano após as manifestações, mesmo que nesse período o governo tenha mencionado o crescimento apenas de 40%. Mesmo que as manifestações tenham aumentado significativamente os salário dos trabalhadores, essa tendência de lutas e manifestações continuaram com os acordos coletivos entre 1990 e 1991. No decorrer das manifestações da primavera, a classe operária conseguiu driblar as limitadas liberdades políticas aplicadas pelo golpe de estado em 1980 através de uma série de métodos criativos que os próprios trabalhadores haviam desenvolvido.

As “Ações da Primavera de 89” acabam por se tornar uma séria fonte de motivação para a oposição no país. A “Resistência dos Mineiros de Zonguldak” e a “Marcha de Ancara” em 1991 abriram as condições objetivas para uma nova era do movimento operário na Turquia, onde os trabalhadores se reconheciam enquanto classe, mesmo após o golpe de 12 de setembro de 1980. A revista semanal Gerçek (A Verdade), que começou a ser publicada no início dos anos 90, também desempenhou um papel importante na luta pela democracia enquanto tentava, ao mesmo tempo, ser a voz dos trabalhadores do país. Em meados da década de 90, ao invés de manter uma revista semanal, surgiu a idéia de uma imprensa operária diária como uma expressão das necessidades da classe trabalhadora.

O Evrensel, que começou a ser publicado em 7 de junho de 1995, o jornal continha várias matérias de diversos intelectuais de esquerda, que haviam trabalhado em jornais diferentes, com camaradas da revista Gerçek. A primeira equipe editorial se constituiu dessa forma:

  • Editor Chefe: Celal Başlangıç; 
  • Chefe de Notícias Estrangeiras: Ertuğrul Kürkçü, 
  • Editor das Notícias do Oriente Médio: Faik Bulut; 

Nós estávamos trabalhando com uma equipe perto de 250 membros no total. No entanto, algumas pessoas, exceto as da revista Gerçek, foram separadas por incompatibilidades ideológicas e históricas. Infelizmente, diversos nomes da esquerda poderiam compor o nosso jornal, mas isso não aconteceu naquele período.


Foto: Evrensel


Que desafios o Evrensel teve no curso de seu desenvolvimento sendo um jornal diário da classe operária?

Primeiro, tivemos sérias dificuldades financeiras, porque publicavamos o Evrensel com um orçamento modesto, que consistia nas condições econômicas dos trabalhadores, não havia apoio nenhum dos capitalistas, porque não o aceitaríamos nenhuma ajuda de qualquer forma. Essa situação obriga os funcionários do jornal a viverem com um salário modesto. Além disso, tínhamos uma série de problemas com dívidas e custos, custos com empresas de distribuição por exemplo, além de outros fatores que afetavam o desenvolvimento do Evrensel. Algo que nos afetou seriamente, por exemplo, era a alta do Dólar americano contra a Lira turca, pois isso nos obrigava a aumentar o preço do jornal e forçar os trabalhadores a gastar ainda mais seu pouco dinheiro. Recebemos anúncios oficiais nos últimos 7 anos, entretanto, recebemos multas da agência de publicidade em conjunto dos advogados de Erdogan, mesmo publicando os anúncios oficiais. Enquanto os anúncios promocionais são entregues aos jornais apartidários, a lei de anúncios, com a gente, está quase estabelecida como uma relação entre punição e supervisão.


Foto: Evrensel



Que papel o Evrensel desempenha nas lutas econômicas e políticas dos trabalhadores? Em particular, qual é a função do jornal político em organizar a classe trabalhadora para tomar o poder?

O Evrensel é um jornal que carrega centenas de milhares de trabalhadores e lutadores na Turquia desde 1995. As negociações, acordos coletivos ou greves estão cada vez mais resultando em vitórias para a classe operária, então a verdadeira importância do Evrensel não pode ser discutida. O Evrensel também tem elevado a consciência política dos trabalhadores, levado em conta as perspectivas e realidades de cada categoria. É claro que, no final, estamos transmitindo incessantemente que o poder pertence aos trabalhadores e que esses devem tomar o poder. Por essa razão, somos alvos dos capitalistas, do estado e da burocracia sindical.

O Evrensel sofreu censura ou repressão por parte das autoridades turcas? Como o Evrensel superou essas ofensivas dos capitalistas?

Sim, o Evrensel foi fechado duas vezes, mas reabrimos ambas as vezes. Em 8 de janeiro de 1996, o camarada, Metin Göktepe, foi levado sob custódia enquanto estava em serviço, foi torturado e assassinado no Eyüp Sports Hall. O caso de Metin Göktepe foi acompanhado por diversos jornalistas, organizações, imprensa e trabalhadores. No decorrer do caso houve justiça, os policiais foram condenados à prisão pelo assassinato de um jornalista na Turquia e a violência policial foi exposta a todos. A luta no caso Metin Göktepe tem uma importância especial, porque os jornalistas e os grupos organizados do povo, juntamente com o Evrensel, defenderam o direito de receber notícias de uma imprensa proletária e alternativa. Em todos esses anos de publicação, milhares de processos contra nós foram arquivados, eu mesmo fui levado a corte e julgado muitas vezes. Mas isso não interferiu em nada na política ou na ideologia das publicações do Evrensel. Isso jamais vai acontecer.


Foto: Evrensel


Com base em sua experiência, que conselho você daria aos marxistas-leninistas americanos para seguir o exemplo do Evrensel e criar uma imprensa proletária diária nos Estados Unidos?

Primeiro de tudo: além dos jornalistas profissionais que trabalham nos escritórios do jornal, vocês devem estabelecer uma rede de repórteres voluntários nas principais fábricas, nos setores da saúde e educação do país para informá-los regularmente através das notícias produzidas por esses voluntários. Um jornal que não faz isso não pode ser uma imprensa da classe operária, suas reivindicações não podem se limitar ao jornalismo de escritório. 

Outro ponto: As reuniões matinais do Evrensel  são únicas em toda Turquia, creio eu, em que jornalistas, administradores e os demais funcionários estão unidos. Se os funcionários que servem chá no jornal quiserem participar dessas reuniões, eles poderão participar. Nosso objetivo é poder expressar o controle coletivo sobre as notícias no jornal, expressar a vontade dos funcionários e dos trabalhadores em todas as páginas e, assim, interligar às ruas a nossa unidade política. Através disso, o Evrensel conquistou uma importante posição na oposição nacional, na luta pela democracia no país, na luta pela ciência, cultura e arte. Hoje, 13 doutores que lutam pela paz e soberania são nossos autores. Eles foram investigados, censurados e expulsos de suas universidades por assinarem uma declaração nacional em defesa da paz no país.

O Presidente da Associação dos Jornalistas da Turquia, Turgay Olcayto, é autor do Evrensel. O Presidente do Sindicato do Jornalistas – maior sindicato jornalístico do país –, Gökhan Durmuş, é um funcionário do Evrensel. Mustafá Köz, Presidente do Sindicato dos Escritores Turcos é também um dos autores do Evrensel. Além disso, o Evrensel é traduzido para o árabe, inglês, alemão, francês e espanhol; temos uma página chamada “GEOGRAFIA ÁRABE”, uma edição semanal das últimas notícias do mundo árabe. Nenhum jornal na Turquia consegue fazer tal cobertura.

O internacionalismo proletário tem um lugar muito importante nas publicações do Evrensel, estamos acompanhando de perto os menores vislumbres do movimento operário mundial. A acumulação histórica e atualizada do Marxismo passa pelo acompanhamento direto do nosso jornal e, também, essa acumulação alimenta as publicações do Evrensel todos os dias.


Foto: Evrensel



Algo mais que você queira adicionar?

Para que um jornal seja um “organizador coletivo”, como Lênin expressa, dois elementos essenciais devem se unir: Ser capaz de alcançar uma acumulação ideológica adequada e ser um jornal que mire diretamente nos trabalhadores. Que a classe operária alimente todos os dias o jornal com matérias, artigos e notícias.”


Foto: Evrensel



Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
120

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações