UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 2 de outubro de 2022

Estudantes vão às ruas contra aumento de passagem em Recife

Estudantes vão às ruas contra aumento de passagem em RecifeA população da Região Metropolitana de Recife teve logo no nos primeiros dias de 2013 uma notícia desagradável: o Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), responsável pelo valor das tarifas dos ônibus, marcou uma reunião para discutir não a melhoria no péssimo transporte coletivo da cidade, mas o aumento das passagens. A proposta dos empresários era de aumentar as passagens em 13% e a proposta do Governo reajuste de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ou seja, 5,75%.

Pego de surpresa, o Movimento Estudantil, tendo à frente a União da Juventude Rebelião (UJR), não ficou parado e foi à luta, logo questionou o aumento e foi às ruas denunciar o aumento. A sede do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Católica de Pernambuco (DCE-UNIAP) transformou-se em um polo de concentração de lideranças do movimento, reunindo mais de 60 estudantes dispostos a construir a luta e intervir na reunião do CSTM para impedir o aumento.

No mesmo dia 3, às 9hs, cerca de 40 manifestantes entraram no local da reunião para expressar a opinião dos estudantes, porém foram impedidos pela polícia e pela administração do Grande Recife Consórcio de Transporte. A repressão não impediu a ousadia e a combatividade do Movimento, que conseguiu chamar a atenção do povo pernambucano para mais esse assalto ao bolso do consumidor.

Na segunda-feira, 7 e janeiro, ocorreu a segunda manifestação de rua contra o aumento das passagens, dessa vez, as reivindicações foram ampliadas para cobrar das autoridades além da revogação do aumento, auditoria nas contas das empresas que fazem o transporte; licitação das linhas de ônibus; reformulação do CSTM ampliando a participação da sociedade civil organizada e o passe livre para estudante e desempregado.

O ato no Centro do Recife recebeu apoio da população e contou com cerca de 300 pessoas, que foram ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) apresentar denúncias. e foram recebidos pela subprocuradora-geral Lais Teixeira.

O presidente da UESPE, Davi Lira, afirmou durante o ato, que “essa movimentação junto ao MPPE, vem se somar a luta dos estudantes por um transporte público de qualidade. O ato contou com a presença do SIMPERE (Sindicato dos Professores da Rede Municipal) e do Movimento de Luta nos Bairros Vilas e Favelas MLB, mostrndo que vários setores da sociedade aderiram à luta. Falando à imprensa, Serginaldo Quirino do MLB, afirmou que “Com esse aumento o pai e mãe de família que tem mais de um filho na escola e paga passagem para estudar, que paga para ir trabalhar, sofre também com o aumento do feijão do gás, do aluguel, vai ter muito mais dificuldade de manter a família, por isso, temos que barrar esse aumento”.

Os estudantes continuam reunidos e novas mobilizações estão sendo organizadas.

Da Redação

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes