UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 7 de julho de 2022

Alemanha prepara-se para receber o chefe do governo golpista do Paraguai

Federico Franco, golpista paraguaioA Alemanha é um dos países que tenciona receber o chefe do governo do Paraguai, nascido de um golpe parlamentar e que não é reconhecido pelas uniões de países latino-americanos. Se a Alemanha e a Comissão Europeia receberem José Feliz Fernández, “danificarão seriamente a democracia”, uma vez que se trata de um “representante ilegítimo” do país, adverte a Esquerda Unitária no Parlamento Europeu (GUE/NGL).

O governo dirigido por Feliz Fernández, sob a presidência de Frederico Franco, resultou do golpe parlamentar de meados de 2012 que destituiu o presidente eleito, Fernando Lugo. O golpe não foi reconhecido pela esmagadora maioria dos países da América Latina, atitude que adotaram também as estruturas reginais como o Mercosul, a Unasul e a Celac.

Em nome do GUE/NGL, a presidente do grupo, Gabi Zimmer, advertiu que será um dano para a democracia, em nome da qual a União Europeia toma tantas posições, se a Alemanha e a Comissão Europeia receberem “um representante ilegítimo do Paraguai”. A eurodeputada alemã sublinhou que “serão os primeiros europeus a acolher um governo de facto fruto de um golpe parlamentar contra o presidente constitucional do Paraguai, Fernando Lugo”.

Jurgen Klute, eurodeputado alemão do GUE/NGL e membro da Delegação Parlamentar com os países do Mercosul, declarou que “será uma vergonha que o governo alemão se preste novamente a tentar legitimar golpes de Estado para assegurar os seus interesses económicos, prosseguindo a história de saque que tanto tem prejudicado a América Latina”.

Klute integrou a delegação do Parlamento Europeu que se deslocou ao Paraguai para averiguar as circunstâncias da deposição de Fernando Lugo, presidente eleito livre e democraticamente. “A União Europeia e os Estados membros devem abster-se de intervir nas decisões tomadas pelos seus homólogos regionais, como o Mercosul, a Unasul e a Celac, que foram unânimes na condenação da rutura da ordem institucional do Paraguai e que suspenderam o país dessas instituições”, afirmou Jurgen Klute.

Investigações realizadas no Paraguai apuraram que o presidente Federico Franco, vice-presidente até ao derrube do presidente, conseguiu em quatro anos ampliar em 700 por cento a sua fortuna pessoal, além de ser conhecido pela prática de nepotismo ao distribuir altor cargos públicos pela família. O primeiro ministro, Feliz Fernandez, é acusado de apropriação indevida de terras para a própria família.

O Paraguai é um dos 10 países mais desiguais do mundo, situação para a qual contribui, sobretudo, o enorme peso dos latifundiários, acusados d terem estado por detrás do golpe contra Lugo.

Antes de a Alemanha e a Comissão Europeia se prepararem para receber um chefe de governo resultante de golpe de Estado já o presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, “legitimara” o regime ao encontrar-se com Federico Franco em Nova Iorque, durante a última Assembleia Geral das Nações Unidas.

A primeira posição alemã sobre a situação no Paraguai, assumida logo em Junho do ano passado, fez prever o que agora poderá acontecer. Para Berlim, o golpe de Estado que depôs Fernando Lugo foi “normal”.

Fonte: BE Internacional

Outros Artigos

1 COMENTÁRIO

  1. Frederico Franco…Porque será que esse nome me faz lembrar tanto do nome Francisco Franco?

    Francisco Franco, o General que lançou um golpe militar com a ajuda da burguesia, do latifúndio e do que há de pior na Igreja Católica contra o governo republicano democraticamente eleito da Espanha(e acabou desencadeando uma Guerra Civil)?

    Ambos os Francos eram adorados pelo Governo alemão de suas respectivas épocas…

    Coincidência muito curiosa…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes