UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

segunda-feira, 28 de novembro de 2022

Por que as pessoas se suicidam?

SuicídioNossa sociedade está doente. Afirmamos isso com plena convicção. E quando falamos de doença não nos referimos “apenas” às patologias fisiológicas, falamos, sobretudo, do adoecimento psicológico e emocional que vivemos. E sabemos o que causou demasiado desajuste nas pessoas e nas suas relações: o sistema capitalista. Pode parecer que não, aos nossos olhos, pensamos que a sociedade está desse jeito porque as pessoas simplesmente foram sempre assim, mas, se lançarmos um olhar mais profundo sobre essa problemática, vamos compreender o porquê de estarmos tristes, deprimidos e insatisfeitos a todo o momento.

O homem da atualidade está sofrendo pela porosidade de sua alma, de sua existência.  O seu ser está sufocado pelo ter. Em nossa cultura ocidental prevalece a estética sobre a ética, há um culto à forma, à beleza, ao poder. Vivemos a ditadura do seja sempre melhor, seja excelente, mesmo que, para que isso ocorra, você precise pisar, esmagar, ser cruel e danoso com outro semelhante. O modelo político social vigente nas sociedades são os grandes causadores desse problema. O capitalismo potencializa o sofrimento humano. O psicanalista Charles Melman tem a seguinte premissa: “A relação com o outro se sustenta em uma concorrência agressiva, autorizando os golpes ao estado de violência atual: homens devorando homens”. É isso que o capitalismo promove: antropofagia (comer carne humana) simbólica e real.

O capitalismo, na sua ótica mercadológica, transforma tudo em mercadoria, como já dizia Marx, onde o que importa é ter, e, nessa lógica, tudo é comprável, inclusive o carinho, o afeto, a amizade de outras pessoas. O ser fica de lado, não importando quem você é, mas sim o que você tem. E nessa desvalorização do ser e na valorização do ter, a maioria das pessoas que não podem ter ficam nessa angústia de viver em uma sociedade na qual o que é valorizado elas não possuem.

Várias são asfalsas saídas a esse modelo político-econômico, muitas delas trágicas para aqueles que estão na base desse sistema. O suicídio é infelizmente uma delas. O suicídio é um problema social e de saúde pública que tira a vida de um milhão de pessoas por ano, é uma vida a cada 40 segundos, em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Um dado interessante é que a terceira causa de morte entre os homens jovens de 15 a 44 anos de países desenvolvidos e em desenvolvimento é o suicídio.É o que mata 26 brasileiros por dia, um número surpreendente e que nos leva a pensar porque isso ocorre. Essa taxa não é alta só no Brasil, mas em vários países do mundo e, com o passar dos anos, só tem aumentado. Uma lista¹ dos 10 países que apresentam os maiores índices de suicídio do mundo aponta em primeiro lugar a Coreia do Sul, com 31,7 pessoas a cada cem mil habitantes, em segundo lugar, a Lituânia, com 31,6, e em terceiro a Guiana, com 26,4. A China está em sexto, com um índice de 22,23, o Japão, que é uma das maiores economias do mundo, está em sétimo lugar, com 21,9. O Brasil não aparece entre os dez, mas tem um índice elevadíssimo como vimos acima.

O modo de produção capitalista não proporciona as mínimas condições para a maioria da população do mundo e também do Brasil viverem. A maioria das pessoas não tem direito a moradia, a um trabalho digno e que traga satisfação e felicidade, a uma educação de qualidade, a saúde, a lazer, enfim, tantas coisas que deveriam estar presentes na vida das pessoas, mas não estão. É por essas carências que muitas pessoas desistem de viver. Sabemos que quando uma pessoa se suicida ela não quer acabar com sua vida, ela quer acabar com aquilo que lhe faz sofrer. O que faz uma pessoa sofrer no Brasil? Educação precária, saúde pública em estado deteriorado, pessoas que passam fome, patrões tirânicos, insatisfação e tristeza no trabalho, essas e muitas outras são a causa do sofrimento da classe trabalhadora brasileira.

Por esses e outros sofrimentos que o capitalismo causa nas pessoas, precisamos nos organizar e lutar para acabar com esse sistema caduco que não nos serve mais e colocar no seu lugar o socialismo, que vai nos proporcionar uma vida mais digna na medida em que prioriza o ser humano e suas necessidades, acabando com a exploração do homem pelo homem e mudando os valores egoístas que hoje em dia são pregados nessa sociedade em que vivemos.

Emanuela Nascimento e Tainan Amaral, estudantes de psicologia e militantes do MLC

¹Fonte: http://top10mais.org/top-10-paises-com-maiores-indices-de-suicidio-no-mundo/#ixzz2if3AeGPu

Outros Artigos

3 COMENTÁRIOS

  1. Esse comentário não tem nada ver em relação as pessoas que suicidam, não acredito que seja o capitalismo a sociedade, existe algo mais profundo a depressão, o eu profundo do suicida, ninguém se mata pelos problemas próprios e pessoais da vida, é algo mais sério, algo muito dificil de ser entendido por qualquer pessoa! Gostaria de uma explicação mais voltada para a ciência psicologica.

  2. Emanuela Nascimento e Tainan Amaral, parabéns pelo texto! Coerência, objetividade, clareza de pensamento, eis os elementos de um bom texto. Além disso, as ideias são consistentes e, sobretudo, esclarecedoras. Logo, não há motivos para se importarem com possíveis tentativas de desvalorização do mérito de ambos.

  3. Eu acredito q o capitalismo influência sim, e desencadea mais possibilidades pro suicídio. Pq eu passo por este tipo de pensamento diariamente, é muito facil uma pessoa bem de vida dar palpites na vida de Gente pobre, que divide aluguel, tem vontade de comer as coisas e não pode etc. Mais creio que o não acolhimento familiar seja um fator ainda pior que este, sentir se rejeitado por pessoas que vc ama é muito triste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes