UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 8 de dezembro de 2022

Esquerda revolucionária convoca convenção nacional na Venezuela

siguarayaA situação econômica se agrava na Venezuela frente a reiteradas tentativas dos capitalistas de impor o desabastecimento a grande parte da população. Do ponto de vista político, o próprio partido no governo, o PSUV, se vê em uma forte divisão interna e muito suscetível às pressões dos capitalistas para fazer as mudanças necessárias no país e avançar para o socialismo.

Como resposta a essa situação, a esquerda revolucionária venezuelana reforça seus laços de unidade e ação conjunta. Desde a formação da Unidade Popular Revolucionária e Anti-imperialista – UPRA, várias organizações sociais vêm trabalhando coordenadamente no sentido de preparar a classe trabalhadora da Venezuela para avançar revolucionariamente.

Para aprofundar essa unidade, foi convocada uma convenção nacional que ocorrerá em Caracas no dia 31 de janeiro. Abaixo, reproduzimos a carta de convocação da convenção:

CONVENÇÃO NACIONAL DA ESQUERDA REVOLUCIONÁRIA

A Convenção Nacional da Esquerda Revolucionária é um espaço de encontro promovido pela Unidade Popular Revolucionária Anti-imperialista – UPRA para propiciar o debate entre as diversas organizações que reivindicam a esquerda revolucionária venezuelana. Até agora temos desenvolvido nossa ação política de forma dispersa mas sempre conscientes da necessidade histórica de assumir o trabalho conjunto ou, pelo menos, coordenado, para superar dificuldades e avançar com passo firme rumo ao socialismo.

Temos trabalhado para gerar as condições adequadas para a coordenação, por isso abordamos, no primeiro momento, o Encontro Nacional de Organizações Revolucionárias, em Outubro de 2014 onde, reconhecendo nossa diversidade, mas também sabendo do interesse comum de trabalho, realizamos uma jornada com delegados das organizações integrantes da UPRA com o objetivo de analisar os seguintes temas: 1) Situação internacional e nacional; 2) Elementos centrais para a transição; 3) Ofensiva da direita e a tática comum para o atual perído; 4) Plataforma de luta, tendo como centro a unidade popular revolucionária. Trabalhamos para gerar acordos e alianças necessários para nos orientar acertadamente no complexo panorama atual e no período que se avizinha.

As organizações integrantes da UPRA assumiram o compromisso de realizar todos os esforços para consolidar uma referência nacional. Uma rede que em todas regiões, na capital e nos estados possa enfrentar as complexas tarefas que significam abordar seriamente a construção do socialismo, defender a independência nacional e derrotar as tentativas dos imperialistas sob todos os signos, que hoje, mais do que nunca, tratam de apropriar-se dos recursos nacionais e da força de trabalho dos países dependentes para tentar diminuir os efeitos da crise do capitalismo.

O Encontro Nacional de Organizações Revolucionárias, realizado em Barquisimeto em Outubro do ano passado como espaço interno da UPRA, serviu para assentar as bases de um debate mais amplo, com mais organizações, na forma de uma Convenção Nacional da Esquerda Revolucionária. Aspiramos que este seja um ponte de inflexão na construção de uma referência política e social da esquerda proletária, popular e revolucionária que requer o povo da Venezuela para orientar-se ante o panorama complexo que se vislumbra no horizonte. Esta referência requer ideias claras, disposição de luta e estruturas organizativas se queremos, realmente, derrotar a burguesia para instaurar uma sociedade da classe operária, dos camponeses e do povo, sociedade de justiça que deve eliminar as relações que que permitem aos exploradores manter seu modo de opressão contra as maiorias.

Por estas razões, todas e cada uma das organizações integrante da UPRA convidamos para o dia 31 de janeiro, na cidade de Caracas, os que sintam a necessidade de preparar-se para o esforço decisivo de superação da sociedade burguesa. Faremos um grande debate demostrando que nas bases do povo existe sim a verdadeira reserva capaz de insuflar o ânimo requerido para consolidar a sociedade de igualdade, unidade e combate que destrua as bases da exploração capitalista-imperialista e coloque a classe operária e os explorados à cabeça das grandes mudanças que o mundo atual exige.

QUEM PODE PARTICIPAR

Todas as organizações sociais, partidos políticos, associações, movimentos e coletivos que se coloquem nas filas da esquerda revolucionária, que combatam o capitalismo, imperialismo e o reformismo, que tenham um trabalho político, teórico, militar, social, comunitário ou de qualquer outra índole, sempre destacando a necessidade de destruir o capitalismo em sua expressão nacional ou internacional, o imperialismo, e toda a forma de exploração como via para construir o socialismo.

A Conferência se realizará no sábado, 31 de janeiro, a partir das 8h no Liceu Antonio Caro, próximo à estação de Metrô Gato Negro. As mesas de discussão e as deliberações tratarão de quatro pontos centrais: 1) Análise da Conjuntura Nacional e Internacional; 2) Sobre a transição ao socialismo e a tática para o período atual; 3) A Unidade Popular Revolucionária; 4) Plataforma de luta (Eixo transversal).

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes