UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

segunda-feira, 4 de julho de 2022

Prefeito Marinho se nega negociar com servidores de São Bernardo em Greve

marcha dos servidores sbcHá quase 10 dias, os trabalhadores e trabalhadoras do serviço público municipal da cidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, estão em greve por melhores condições de trabalho e por aumento salarial. O prefeito Luiz Marinho (PT) se negou a apresentar qualquer proposta até o 7o dia de greve e, depois, condicionou as negociações ao término do movimento paredista.

Luiz Marinho é ex-presidente do sindicato dos metalúrgicos do ABC e construiu toda sua projeção política como militante sindical. No entanto, uma vez na administração, o prefeito tem se comportado como o pior tipo de patrão, se negando a negociar com o sindicato dos trabalhadores e perseguindo os movimentos sociais de moradia da cidade.

A greve dos servidores de São Bernardo do Campo tem sido um exemplo de mobilização e luta. Todas as manhãs são realizadas mobilizações em diversos pontos da cidade e ações de esclarecimento à população são desenvolvidas. Todos os dias são realizadas marchas até a prefeitura que reuniram até 10 mil pessoas.

Para reivindicar a abertura de negociações por parte da prefeitura, um grupo de servidores ocupou a Câmara dos Vereadores e lá permanece até que o governo se sensibilize.

Abaixo, reproduzimos a carta dos servidores que se encontram em ocupação na câmara:

servidores que ocupma

O funcionário público de São Bernardo do Campo traz em sua história a característica do atendimento humano. Constitui-se em nossa história a construção da cidadania, da democracia.

Diante das situações que temos vivenciado com governo tão antagônico, com discurso democrático e ação ditatorial, não restaram alternativas a não ser manifestar nossa indignação e insatisfação diante dessas ações que afetam nossa característica maior: “Servir com qualidade”.

Nós, que estamos aqui dentro, somos apenas uma parte do todo que está aí fora. Estamos aqui com sentimento de gratidão, alegria, união com o resgate da força e dignidade que estamos vivenciando.

Salientamos ainda que durante toda a noite, tivemos as necessidades básicas supridas graças à solidariedade de todos.

Não esqueçamos “juntos somos fortes”. Estamos dispostos a permanecer aqui até que sejam abertas as negociações e haja uma proposta real e respeitosa que não traga prejuízo a nenhum servidor.

“Nenhum de nós é tão forte quanto todos nós juntos!”

São Bernardo do Campo, 21 de maio de 2015

Da Redação, São Paulo

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes