UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 2 de outubro de 2022

Povo do Barreiro conquista regularização de água

AiJ5udHZitK4w6AwwkKby2dW4B0TJivQIqCRLxLph31sApós vários dias sem água, moradores da Ocupação Eliana Silva exigiram medidas da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) para acabar com o problema. Por causa de uma medida do Ministério Público de Minas Gerais que obriga a Copasa a manter o abastecimento de água nas ocupações, a empresa enviou um caminhão-pipa até a comunidade para atender às necessidades de abastecimento.

A falta de água é um dos mais graves problemas nos bairros do Barreiro, uma das regiões mais populosas da capital mineira, que vive constantemente com esse problema, fruto do descaso e do abandono do poder público. Esse problema afetou não apenas as famílias em suas residências, mas também as crianças da Creche Eliana Silva, que teve dificuldades até mesmo na preparação de alimentos e de higiene.

Revoltados com a situação, os moradores da comunidade resolveram fazer um protesto para exigir a regularização da água por parte da empresa e do governo, cobrando uma reunião com representantes das partes a fim de tratar do assunto. No protesto, os moradores cercaram o caminhão-pipa e disseram que só liberariam o veículo após a garantia das negociações. Essa luta foi apoiada pelos moradores dos bairros adjacentes, em especial o Vila Santa Rita, pois seus moradores também sofrem com a constante falta dos serviços de abastecimento.

Com o caminhão retido na comunidade, deu-se início às negociações entre o MLB e a direção da Copasa, que durou por horas até que a empresa se comprometeu efetivamente em implantar o sistema de água.

Além dos moradores da ocupação Eliana Silva, participaram também dessa luta os moradores das ocupações Camilo Torres e Irmã Dorothy, que também serão beneficiadas pela medida. O resultado dessa importante luta já está sendo iniciado com os estudos e o recolhimento dos cadastros dos moradores para a implantação da rede nessas comunidades.

Esse é um primeiro passo que vai dar início ao processo da regularização oficial das comunidades, pois juntamente com a regularização da água e do esgoto, será obrigatória a implantação da rede elétrica oficial da Cemig e todas as famílias terão um Código de Endereçamento Postal (CEP) oficializado pelos Correios, que garantirá outras conquistas, como, por exemplo, a chegada de correspondências e cartas em suas próprias casas. Ou seja, é a garantia de um mínimo de cidadania às famílias de trabalhadores e trabalhadoras de três importantes ocupações do Barreiro. Poliana Souza, coordenadora do MLB e moradora da ocupação Eliana Silva, destacou que “a implantação da rede de água e esgoto nessas ocupações é o início do reconhecimento oficial das famílias e das comunidades. É um direito à cidadania”.

Redação Minas Gerais

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes