UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 28 de setembro de 2022

Entusiasmo e combatividade marcam o VII Congresso da UESM

Cerca de 150 estudantes lotaram o auditório da Escola de Ensino Médio Liceu de Messejana em Fortaleza – CE para participarem do VII Congresso da União dos Estudantes Secundaristas da Região Metropolitana de Fortaleza – UESM. O congresso aconteceu em 29 de maio, um dia antes do ato nacional pela educação, o 30M, o que impulsionou e empolgou mais ainda a participação dos estudantes.

A mesa de abertura estava composta pelo  sindicato dos professores do estado – APEOC, dos professores do município  – SINDIUTE, o sindicato dos petroleiros – SINDIPETRO, Sindicato dos Jornalistas – SINDJORCE,  professor do Liceu de Messejana, a Secretaria de Educação do Estado do Ceará , a Unidade Popular pelo Socialismo, Movimento de Mulheres Olga Benário, Movimento de lutas em bairros, vilas e favelas – MLB, o  Movimento dos Trabalhadores Sem teto –MTST, gabinete do Deputado Estadual Renato Roseno (PSOL) e a entidade AMES – Teresina.

Um clima de resistência e luta estava nítido no plenário. Os estudantes vibravam cada vez que os convidados à mesa de abertura denunciavam os cortes na educação promovidos pelo (des)governo Bolsonaro (PSL), além de seu envolvimento em milícias e a política de criminalização aos movimentos sociais e entidades estudantis, e convocavam cada um dos presentes a fortalecerem a luta em defesa de seus direitos.

Após a abertura houve os grupos de debate com as temáticas: Conjuntura e Educação, Negros e negras, Mulheres, LGBTT, um espaço onde os estudantes puderam compartilhar vivências e com certeza saíram bastante fortalecidos para promoverem atividades em suas escolas.

Ao final, foi eleita a nova diretoria da entidade, que tocará as lutas pelos próximos dois anos, com o compromisso de fortalecer os grêmios estudantis para organizar a luta e resistência em favor da escola e universidades públicas. Como bem disse o presidente eleito, Canaã Gilmar :   “não vamos aceitar os cortes do governo na educação. Nós da UESM estamos dando uma resposta a esse governo. Não calaremos diante dessas medidas e nem ficaremos submissos . Os estudantes e professores precisam fortalecer a luta nas ruas! Também não aceitaremos a retirada de direitos dos trabalhadores . É nosso dever lutar contra a aprovação da Reforma da Previdência e em defesa da educação pública! Bolsonaro tire as mãos de nossa educação!!”

Fábio Andrade, Ceará

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes