UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 30 de junho de 2022

Moradores de Jundiapeba organizam ato contra tentativa de intimidação da Prefeitura

Mesmo com a tentativa de desorganizar e criminalizar a justa causa pelo direito à moradia, o povo de Jundiapeba deu o primeiro passo e saiu às ruas do bairro e manifestou toda sua revolta contra a negligência e arbitrariedade da prefeitura de Mogi das Cruzes.

Pedro Dragoni e Thales Caramante


Foto: Marcelo Viola/Jornal A Verdade

MOGI DAS CRUZES (SP) – A prefeitura de Mogi das Cruzes através de seu representante João Victor – diretor de habitação do município – convocou, na sexta-feira (dia 30), uma reunião às pressas com a população com o intuito de amansar o ímpeto do povo de realizar o ato marcado no dia do aniversário de 459 anos da cidade, 1º de setembro; sendo 459 o número das famílias que correm o risco de despejo no bairro de Jundiapeba.

A prefeitura de Mogi age como órgão administrativo do Estado burguês, busca fazer o jogo de “morde e assopra” na tentativa de enganar o povo e desmobilizar os moradores em luta. Em um primeiro momento, a prefeitura buscou dissimular, como defensora da causa pela moradia da população de Jundiapeba – inclusive atacando sordidamente a empresa de transmissão de energia elétrica ISA CTEEP, da qual eles verdadeiramente estão a serviço –, e reiterando a constitucionalidade de manifestação do povo, para, logo em seguida, de forma arbitrária emitir uma ordem judicial para impedir o protesto popular com a justificativa de que o ato seria potencialmente não pacífico.

Não bastasse isso, no mesmo documento consta que, se fosse desobedecida tal ordem – de manifestação em um raio de 3 km do local no centro da cidade onde seria realizada a festa de aniversário de Mogi –, o povo de Jundiapeba que além de sofrer diariamente com a possibilidade de perderem suas casas e sem nenhuma contrapartida por parte da prefeitura e da empresa, teriam de pagar o valor inacreditável de R$100.000,00 ao Poder Municipal. O quadro que se apresenta é de clara tentativa de criminalização do ato, de tirar a responsabilidade do poder “público” e, como se já não fosse o bastante, de processar os já tão prejudicados moradores do bairro de Jundiapeba.

Tendo em vista a convocação de uma reunião em pleno pátio do batalhão da PM – da qual não saiu qualquer ação mais concreta por parte da prefeitura – e a emissão de tal ordem judicial infame que são nada menos do que métodos de intimidação à luta popular. O povo de Jundiapeba e sua comissão do Movimento Jundiapeba por Moradia decidiram não recuar e realizar o protesto no domingo.

Foto: Marcelo Viola/Jornal A Verdade

Ignorados pela imprensa local – O Diário de Mogi e Mogi News –, com vários cartazes, gritos de ordem e acompanhados de um carro de som, vários moradores saíram às ruas no bairro de Jundiapeba no intento de alertar e conscientizar a população local do problema que atinge a comunidade. Foram feitas diversas falas tanto dos próprios moradores do bairro, quanto de apoiadores da luta popular não apenas na cidade de Mogi como de toda a região do Alto Tietê.

Foto: Marcelo Viola/Jornal A Verdade




Mogi completando 459 anos, realizando uma gigantesca festa de artistas com cachês que chegam a quase meio milhão de reais (entre eles, a cantora Anita), o povo trabalhador é ameaçado, chantageado a não se manifestar do modo que bem determinarem. Isso põe em xeque a ideia da “democracia plena” que propagandeiam os jornais burgueses, mas o real significado da expressão democracia quer dizer “poder do povo”; algo que na realidade se mostra totalmente o oposto em Mogi das Cruzes. A conclusão a se chegar é que a “democracia” que existe é a democracia somente para os empresários, os bancos e os burocratas do poder público.

Faz-se urgente denunciar a posição autoritária por parte da prefeitura e do poder judiciário e enfatizar que somente a organização do povo e sua vontade de luta podem fazer real embate no intento de defender seus direitos frente aos desmandos das “autoridades”.

https://youtu.be/eBanEs2WCyc
Inês Paz (PSOL) e o vereador Rodrigo Valverde (PT) estavam ao lado dos moradores de Jundiapeba durante as manifestações.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes