UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 26 de novembro de 2022

Fortes chuvas causam enchentes e destruição em Belo Horizonte

Redação Minas Gerais


Foto Jornal a Verdade

BELO HORIZONTE – Na noite do último domingo (19), os moradores da região do bairro Betânia protestaram colocando barricadas na Avenida Tereza Cristina devido a grande enchente do rio Arrudas, que deixou a região em um verdadeiro caos.

Moradores da região relataram que uma enchente de semelhante magnitude aconteceu em 2008. “Encontrei um cenário de guerra, me senti no Iraque ou em Brumadinho após o rompimento da barragem” disse um dos coordenadores do MLB – Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas, acionado por moradores da região para acompanhar a tragédia.

Postes no chão, asfalto estourado, carros, colchões, geladeiras e eletrodomésticos, todos arrastados pela enchente. Estima-se que pelo menos 2.000 famílias foram atingidas, situação que se repete todos os anos em várias regiões da cidade devido ao descaso da prefeitura e do governo do Estado com o povo trabalhador. “E quando o povo protestou, fez barricadas, gritou, se uniu, lutou, foi violentamente reprimido pelo mesmo Estado que os deixa naquela situação”, disse Leonardo Péricles, Presidente Nacional da Unidade Popular que também estava dando suporte às familias.



Acionada as autoridades, a defesa civil só chegou em partes da Avenida Teresa Cristina. Houve grande descaso das autoridades: “postes energizados caídos próximos às residências e locais onde as pessoas transitam. Foram acionadas a Cemig, Polícia Militar e nada fizeram para ajudar os moradores”.

Vídeos do acontecimentos mostram uma verdadeira repressão da PM aos moradores que indignados diante de uma situação dura, perdendo quase tudo conquistado com anos de luta, protestando para terem um apoio digno do governo numa situação de caos, acabaram por receber, pelo contrário, bombas e bala de borracha. “Enviaram até uma pá carregadeira, mas foi para desbloquear a avenida que tínhamos interditado com o asfalto rasgado pela chuva e os entulhos que nossos pertences viraram”.

O outro dia

Nesta segunda feira, a Avenida Teresa Cristina, uma importante avenida que liga várias regiões da cidade e lugar onde várias família habitam, está totalmente interditada para o transporte público.
Sem poder sair para o trabalho, várias famílias permanence recuperando o que é possível. A revolta é grande, e os piquetes continuam a interditar pontos da avenida ainda transitável aos carros. “É grande a indignação. Eu moro aqui há mais de 23 anos. Fui realocado do lugar onde estava para cá, pois, segundo a prefeitura, eu estava em um área de risco. E olha o que acontece. Vivi uma grande enchente que aconteceu há 11 anos atrás, e agora de novo. Tinha mais de 60 cm de água dentro de casa” relata um morador.

O Secretário Municipal de Obras e Infraestrutura, Josué Valadão, esteve presente em uma das regiões devastadas e a sensação que ficou para os moradores foi descaso. “Ele veio aqui no local, nem olhou a casa das pessoas. Falou que veio aqui ver o asfalto, virou as costas e saiu andando”, relata Edinho Vieira do MLB.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes