UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sexta-feira, 1 de julho de 2022

Trabalhadores inseguros em telemarketing de Santos

Foto: reprodução

Em 19 de Março de 2020, diversos Trabalhadores no segmento de telecomunicações/ telemarketing mobilizaram diversas manifestações internas e por meio das redes sociais, para expor suas insatisfações em relação à condições trabalhistas nas empresas em meio a pandemia do covid-19.

Após muitas articulações, somente em 02 de abril de 2020 a empresa Atento Brasil situada no litoral paulista disponibilizou o trabalho remoto (Home Office).

Ressaltamos que esta “oportunidade” não abrangeu a todos os funcionários da unidade. Alguns boatos internos especulam que, o motivo seria a falta de internet nas residências da maioria dos trabalhadores, o que impossibilitou a realocação de 100% da unidade para o home office, motivo esse que é muito controverso entre os funcionários.

No último dia 08 a empresa anunciou o seu encerramento no litoral paulista e manterá apenas 450 funcionários em regime de trabalho a distância de um total que passa de 1.200 funcionários. Uma outra parte será realocada para outras unidades e 480 trabalhadores e trabalhadoras serão demitidos. É importante destacar que as demissões serão realizadas entre os trabalhadores que estavam trabalhando na unidade da Atento, ou seja, a recompensa por sair de casa todos os dias podendo contrair o covid 19 e ainda adoecer a família é a demissão.

O que há é a falta de comprometimento tanto por parte da atento Brasil como por parte do sindicato da categoria. A situação é informações cruciais omitidas dos trabalhadores em um momento também delicado em nosso país. Sem qualquer aviso prévio para os seus funcionários, deixando a cargo de um meio de comunicação expor as notícias.

Até o momento os funcionários se encontram apreensivos com tudo que estamos passando, existe falha no serviço remoto entre tantas questões.

Com essas demissões se demonstra que a empresa coloca o lucro acima da vida das pessoas, pois para manter e aumentar os milhões de faturamento, 480 famílias vão perder suas rendas, não tendo condições de pagar aluguel e comprar itens básicos de alimentação e higiene. Até porque, durante uma grande crise sanitária e econômica, onde só cresce o número de desempregados, como essas 480 pessoas conseguirão outro emprego?

Por isso cabe a nós lutar por uma sociedade onde a dignidade humana esteja acima dos interesses mesquinhos de uma pequena minoria de milionários.

Luciene Oliveira – trabalhadora da atento Santos e Eduardo dos Santos

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes