UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sexta-feira, 1 de julho de 2022

UFRN aprova aulas remotas obrigatórias sem consultar estudantes

Foto: reprodução.

Por Redação Rio Grande do Norte

NATAL – No último dia 13, ocorreu a reunião do DCE com o Reitor da UFRN que visou a apresentação de um manifesto que contou com a assinatura de 40 centros e diretórios acadêmicos. Mesmo com a demonstração clara de preocupação – por parte dos discentes-expressada no Manifesto sobre a inclusão de todos os estudantes da universidade, o reitor se mostrou firmemente a favor e defendeu, incessantemente, a consolidação das propostas apresentadas na minuta do retorno às aulas, mesmo tendo ciência de que a mesma em questão não atende a todas as necessidades dos universitários da UFRN, uma vez que a instituição é interiorizada e abrange diversas realidades socioeconômicas.
A minuta aprovada impõe a obrigatoriedade do retorno do semestre 2020.1 e fecha o auxílio de somente 600 reais, disponível apenas aos alunos prioritários do CadÚNICO. Nesse âmbito, a burocratização do auxílio vai causar a exclusão de universitários, tendo em vista que o auxílio não atenderá a todos os estudantes necessitados levando a exclusão e o desnivelamento das turmas.
Outro ponto de extrema relevância a ser analisado, é a pressa para a oficialização da minuta que pôde ser percebida ao ser marcada a data do CONSEPE (Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão) extraordinário de forma atropelada, contando com o voto em regime de urgência para a aprovação da proposta. O que foi aprovado, como esperado, nessa última quinta-feira (16). Esse comportamento desesperado transparece o plano da reitoria de barrar qualquer tipo de deliberação com os discentes e uma possível contraproposta elaborada pelos mesmos.
Ao decorrer do CONSEPE, diversos conselheiros presentes afirmaram que a universidade estava disponibilizando todos os recursos necessários para uma aprendizagem efetiva, porém a própria minuta apresenta que os estudantes não serão reprovados caso falhem nas atividades avaliativas, o que prova o descaso com o aprendizado dos estudantes na prática das aulas remotas. No Conselho também, um professor chegou até mesmo a afirmar que a UFRN terá uma geração completa de alunos com uma formação deficitária devido ao ensino remoto aprovado e mesmo diante de posicionamentos como esse, a reitoria desconsiderou as múltiplas falhas no novo plano de estudo.

A UFRN não tem a intenção de debater com os estudantes sobre o retorno das aulas de forma remota e obrigatória e pretende continuar com a elitização da universidade. No entanto, já há uma mobilização dos estudantes para que ninguém seja desconsiderado e todas as realidades em questão sejam respeitadas.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes