TwitterFacebook

Ocupação Barreirinho conquista moradias em Ibirité

Vitória da luta! Após 15 dias Ocupação Barreirinho conquista moradia em Ibirité. Foto: Jornal A Verdade

Redação Minas Gerais

Ibirité, MG – No mesmo dia em que a Câmara dos Deputados aprovou o PL 827/20 que proíbe despejos em áreas rurais e urbanas durante o período de pandemia, as famílias da ocupação Barreirinho, da cidade de Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte, conquistaram novo terreno para construção de casas populares que garantem moradia para as 51 famílias da ocupação.

A ocupação Barreirinho ocorreu em 2014, quando 51 famílias ocuparam apartamentos em prédios que estavam desocupados e não cumpriam função social. Após dois anos de ameaças de despejos, enfrentamentos com a PM e várias ocupações na prefeitura, organizadas em conjunto com o MLB, para pressionar a prefeitura por uma solução, finalmente conseguiram um acordo intermediado pela Defensoria Pública e Ministério Público estadual, assinado em 2016 pelas famílias e prefeitura, aonde foram cedidos terreno para construção de moradia popular com a finalidade de atender as famílias.

Porém, com as chuvas torrenciais de janeiro de 2019 que geraram centenas de desabrigados na cidade, a prefeitura, sem nenhum diálogo ou conhecimento das famílias e do MLB resolveu construir na área destinada às famílias da ocupação, passando por cima do acordo assinado anteriormente e desrespeitando o direito conquistado.

Importante ressaltar que tanto as 51 famílias quanto o MLB não foram contra abrigar os desabrigados pelas chuvas. Mas a prefeitura excluiu as famílias da ocupação Barreirinho.

Cansadas pelo descaso e desrespeito do prefeito com a comunidade, no último dia 4 de maio as famílias decidiram fazer nova ocupação da prefeitura. As 51 famílias ocuparam o saguão interno e outra parte na área externa, fincaram as bandeiras, esticaram as faixas, montaram as barracas e chegaram com muita disposição. Foram quinze dias de ocupação e muita luta. Durante esse período foram feitas várias tentativas, mas o prefeito William Parreira se negou a reunir e dialogar. Nesse mesmo tempo o prefeito desapareceu da cidade, em todos os lugares que foi procurado (até mesmo na sua casa) não foi encontrado. Foi quando iniciou grande campanha “Procura-se o prefeito William Parreira – Desaparecido!”, com colagem de cartazes e distribuição de panfletos com a foto, tendo grande repercussão na cidade, ficando clara a ideia de que o prefeito havia sumido da cidade fugindo das famílias da ocupação Barreirinho e do MLB.

A pressão surtiu efeito. Em duas reuniões no CEJUSC, sendo a primeira sem a presença do prefeito e a definitiva já com a presença de William Parreira, contando ainda com representantes do Ministério Público de Minas Gerais, do presidente da Câmara Municipal de Ibirité, do procurador do município, do Juiz representando o CEJUSC, de comissão das famílias e do MLB, foi selado novo termo de acordo que garante terreno no bairro Camargos para o assentamento das 51 famílias com a construção de prédio pela prefeitura, no prazo de 18 meses e a destinação de recursos que será aprovado pela Câmara Municipal. Ainda assim, se a prefeitura não iniciar a construção no prazo de 12 meses, o terreno será liberado para as famílias fazerem a autoconstrução.

Na noite da terça, dia 18 de junho, em clima de euforia as famílias realizaram assembleia decidindo por unanimidade a retirada do acampamento. Mais uma vez fica o exemplo de que só conquista quem luta como fizeram mais uma vez a comunidade da ocupação do Barreirinho, que com organização e determinação dobraram a intransigência do prefeito de Ibirité e saíram mais uma vez vitoriosos.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações