UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 28 de maio de 2022

Movimento Correnteza e UJR realizam curso sobre Marxismo e questão racial na UFRJ

Frantz Fanon foi um dos lutadores e teóricos que trabalharam o marxismo e a questão racial e foi lembrado no curso. Foto: reprodução

A União da Juventude Rebelião e o Movimento Correnteza realizaram um curso de formação marxista para os estudantes da UFRJ, com a inscrição e participação de mais de 70 estudantes.

Leonardo Gonçalves, Rio de Janeiro

Estudante de história da UFRJ e militante da UJR

JUVENTUDE Nos dias 18 e 25 de novembro, a União da Juventude Rebelião e o Movimento Correnteza, realizaram um curso de formação marxista voltado aos estudantes do campus IFCS-IH da UFRJ. 

Em formato remoto, o curso contou com a inscrição e participação de mais de 70 estudantes, demonstrando a importância desses eventos de formação e o interesse crescente pelo tema.

O curso foi dividido em duas aulas de aproximadamente duas horas cada. Além da exposição dos professores convidados, houveram apresentações dos movimentos que construíram ou que colaboraram com o curso: UJR, Correnteza, Perifa Zumbi e UP. O curso também contou com várias intervenções e debates dos estudantes presentes.

A primeira aula teve um caráter introdutório. Em um primeiro momento da aula, o foco foi uma exposição teórica acerca dos princípios básicos do marxismo. A partir disso, a discussão caminhou para a aplicação desses conceitos na prática, centrando o debate no caráter anticolonial da Revolução Russa. 

A segunda aula foi sobre a relação entre marxismo e questão racial. Foi estudado como o capitalismo depende da opressão racial para existir, além de ampliar seus lucros. O curso ressalta a importância de intelectuais e revolucionários negros e marxistas no enfrentamento ao imperialismo no século XX. 

Estudando nomes como Clóvis Moura, Frantz Fanon, Amilcar Cabral, entre outros, a aula se centrou na afirmação da necessidade da construção de uma luta antirracista que esteja atrelada à luta anticapitalista. Não é possível pensar em qualquer tipo de análise ou de transformação da sociedade brasileira sem um debate profundo sobre a questão racial.

O sucesso do curso foi tão grande que após a realização do mesmo ficou acordado a construção de um grupo de estudos quinzenal. Coordenado pelo Movimento Negro Perifa Zumbi. esse grupo de estudos será realizado com os estudantes que fizeram o curso e se interessarem em aprofundar os estudos sobre marxismo e questão racial.

Esse é mais um exemplo da importância desses espaços de formação política e divulgação do marxismo-leninismo e da atualidade e força crescente do marxismo.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes