UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 8 de dezembro de 2022

Os ataques do Governo Alckmin contra os estudantes de São Paulo

Estudantes ocupam o Centro Paula Souza Foto: Folha de São Paulo

Julia Cristina


SÃO PAULO – O ex-governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) é o principal nome para concorrer à vice-presidência junto com Lula (PT).

O tucano governou São Paulo por 12 anos e durante esse período se demonstrou um inimigo da educação e dos estudantes. Durante seus mandatos houveram diversas acusações sobre desvio de verba de merenda escolar nas escolas estaduais e ETEC’s.

Além disso, fez diversas ameaças à educação pública, que envolviam fechar mais de 70 escolas estaduais alegando que elas não eram mais úteis, quando essas garantiam o acesso básico a milhares de pessoas. Também ameaçou privatizar várias escolas em São Paulo. Em resposta, estudantes de várias escolas protestaram contra o fechamento dessas salas de aula, no ano de 2015, a réplica do governo foi a repressão violenta da PM, como o Jornal A Verdade denunciou em novembro do mesmo ano.

Polícia Militar faz cordão de isolamento em frente à Escola Estadual Fernão Dias Paes. Foto: Marcos Santos/ Jornal da USP

Já em 2016, estudantes secundaristas da rede estadual Centro Paula Souza (responsável pelas ETEC’s e FATEC’s) ocuparam a sede administrativa e algumas unidades do centro da capital para reivindicarem o direito à merenda e protestavam contra o fechamento de salas. Os estudantes, na época, passavam o dia todo na escola e, mesmo assim, não recebiam uma bolacha sequer.

Em resposta aos protestos, Geraldo Alckmin afirmou, na época, que não faltava merenda para os estudantes e que a ocupação das escolas era seletiva e um movimento político: “É interessante que eles não invadem escolas do PT. É uma invasão seletiva.”.

Fato é que Alckmin é inimigo dos estudantes e da educação de qualidade. Por isso, estudantes, lutemos por um país onde a educação seja valorizada e a luta secundarista não seja menosprezada, que possamos construir um governo popular, onde nossa voz seja ouvida. À luta!

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes