UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 3 de dezembro de 2022

Pernambuco repudiou o golpe militar fascista de 1964

Ato do dia 31 de março em repudio ao golpe militar de 1964. Foto: Paulo Fernando-PE.   

Redação de PE


Pernambuco repudiou o famigerado golpe militar fascista de 1964 e homenageou os heróis e heroínas da resistência, no dia 31 de março de 2022, na praça padre Henrique, ao lado do monumento Tortura Nunca Mais e da Calçada da História, nosso maior sítio de memória, situado na rua da Aurora, em Recife-PE.

Nestes 58 anos, a luta e a história não pararam. Pelo contrário, as lideranças do povo trabalhador seguem firme na luta pela justiça de transição, com a devida punição para os golpistas e seus torturadores, pelas reformas de base e transformações revolucionárias da sociedade brasileira. Enquanto isso, a classe exploradora, entreguista, a burguesia e seus banqueiros, seguem entregando a Amazônia, a Petrobrás, arrochando os salários dos trabalhadores negando a história, pisoteando a democracia e tentando um movo golpe militar de caráter fascista, para isto o presidente genocida, Jair Bolsonaro, encheu o governo de generais decrépitos, retrógrados e fascistas.

Os vários discursos do solene evento se dedicaram a repudiar a cínica e mentirosa Ordem do Dia, publicada pelo ministro da Defesa, o general Braga Neto, classificado pela maioria dos oradores de mentiroso e cínico, que se coloca como candidato a vice-presidente da República na chapa do fascista capitão Jair Bolsonaro, pois lá naquele papelucho ele afirma que o golpe militar de 1964 “foi uma evolução política”.

Edival Nunes Cajá, no encerramento do ato em repudio ao golpe militar de 1964.

Finalmente, é justo registrar que a unanimidade dos discursos ressaltou o importante papel na luta vitoriosa pela derrubada da ditadura que cumpriu a resistência armada, naquela longa noite sombria, que duraram 21 anos.

Ainda esclarecemos que apesar daquele infame golpe ter ocorrido no dia 1° de abril, o CMVJ-PE realizou seu protesto no dia 31 de março pela construção da unidade dos  protestos em nível nacional, já previstos para esta data pelo Movimento Vozes do Silêncio e do Movimento Tortura Nunca Mais e alguns Comitês que se manifestariam na mesma data e horário, como de fato ocorreu em São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro  Ceará, entre outros estados brasileiros.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes