UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 25 de maio de 2022

Prefeitura de Natal despeja população em situação de rua

Pessoas em situação de rua foram expulsas de viaduto no meio da semana santa. Foto: Matheus Araújo/JAV

Matheus Araújo | Redação RN

NATAL – Durante a semana santa, a Prefeitura de Natal realizou uma verdadeira cruzada contra a população em situação de rua. O prefeito da cidade Álvaro Dias (PSDB) usou todo seu ódio, higienismo e repressão possível contra as pessoas que viviam embaixo do Viaduto do Baldo, no centro da capital potiguar.

Logo no Domingo de Ramos, as primeiras viaturas chegaram no viaduto, sem ordem de reintegração ou qualquer medida jurídica. Os guardas municipais espancaram pessoas, chegaram a assassinar o gato de um dos moradores e retiraram todos os seus pertences. A prefeitura não forneceu nenhum tipo de ajuda às famílias, só truculência com gás de pimenta e cassetetes.

“Em um momento a guarda municipal me pediu pra me afastar, disse que era pra eu não me machucar. mas eu já machucada por dentro sabe, é triste demais ver essa situação, eles tão tirando o pouco que as pessoas têm.” Diz Neurivania da Silva, conhecida como Meire, coordenadora do Movimento Nacional da População em Situação de Rua (MNPR).

O crescimento da população em situação de rua

Nos últimos anos a população que vive nas ruas tem aumentado no Brasil, Os dados oficiais são bem difíceis de serem precisos, no próprio Rio Grande do Norte nunca foi feito um censo da população em situação de rua. O MNPR acredita que esse número nacionalmente possa chegar a meio milhão de brasileiros.

Esse aumento levou diversos governos a implementarem medidas higienistas, como forma de somente reprimir essas pessoas e não de resolver os seus problemas. Tratando um caso que deveria ser de Saúde e Assistência Social como caso de polícia, realizando uma verdadeira guerra contra os pobres.

“Recebi uma cesta com tudo vencido”

Lucia Ferreira dos Anjos da Silva, 49 anos, uma das pessoas que viviam no Baldo retrata essa realidade desumana ao relatar que:“Recebi uma cesta ontem do CRAS, tudo que tinha na cesta estava vencido, arroz, feijão e tudo estragado, deram comida estragada pra gente. É um sentimento de tristeza, espancaram um amigo meu, ele tava todo cheio de sangue. Tudo isso porque somos pobres.”

O MLB (Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas) realizou uma atividade de protesto ao lado do MNPR, em frente a prefeitura denunciando o despejo criminoso e desumano feito pela gestão tucana e fascista. É importante lembrar que esse mesmo prefeito desde dezembro deu a si próprio um aumento de 60% do seu salário, enquanto ataca o povo pobre.

Um muro contra os pobres

Na quinta (14), a prefeitura concretizou o despejo, construindo um muro para impedir que novas pessoas entrassem dentro da área coberta pelo viaduto. O muro ficou bem na marca da sombra, uma forma escolhida pelo Prefeito que do conforto de sua mansão negou até sombra aos pobres.

“A prefeitura gastou recurso público para construir um muro, não veio ninguém da secretaria de Assistência Social, somente as forças de segurança que reprimiu a população. Estamos vivenciando mais uma vez uma ação como essa, já é a oitava vez que isso acontece, não tem como aceitar. Mesmo com a decisão que proíbe os despejos o Prefeito mantém essa política higienista.” Relata Vanilson Torres, coordenador do MNPR. 

A população em situação de rua enfrenta grandes inimigos como a fome, a falta de moradia, a vulnerabilidade causada pela situação em que vivem, e também o governo dos ricos. Se o povo fosse prioridade ninguém viveria nas ruas, a reforma urbana já seria uma realidade e o Brasil não teria mais de 8 milhões de famílias compondo o déficit habitacional. Movimentos sociais em Natal se organizam para no próximo período realizar uma grande luta contra a gestão de Álvaro Dias. 

Outros Artigos

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes