UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

segunda-feira, 4 de julho de 2022

Projeto “Memória Militar” é barrado na UFPE

Reunião entre representações da sociedade civil e a Reitoria da UFPE

Redação PE

No último dia 25, uma comitiva de entidades da sociedade civil, entre elas, o Comitê Memória, Verdade e Justiça de Pernambuco (CMVJ-PE) e diretórios estudantis, foi recebida pelo reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Prof. Alfredo Macedo Gomes. Na pauta estava o repúdio à iniciativa do Exército em buscar a instituição para celebrar parceria acerca do chamado Projeto “Memória Militar”.

Para Edival Nunes Cajá, do CMVJ-PE, “a audiência foi muito boa, porque os pleitos foram atendidos, inclusive o principal, de que não haja qualquer parceria entre UFPE e Exército. Além disso, as entidades presentes foram convidadas para uma reunião do Conselho Universitário para iniciar o processo de criação da Comissão da Verdade no âmbito da UFPE”.

Leia a íntegra do documento entregue ao reitor:

À V. Mag.ª Reitor da UFPE, Prof. Dr. Alfredo Macedo Gomes, professor e reitor da nossa querida UFPE.

Nós, abaixo-assinados, em função da memória histórica de Pernambuco e desta Universidade, reivindicamos que seja rejeitada essa proposta injusta que agride as vítimas do golpe de 1964 que tem relação com a Universidade, de uma parceria para construir “A Memória Militar do Exército Brasileiro”, bem como, aproveitamos a oportunidade para requerer a imediata criação da Comissão da Memória e da Verdade, no âmbito desta instituição.

A UFPE teve várias lideranças do seu corpo docente e discente sequestrados, torturados, encarcerados e assassinados sob terríveis torturas, com ocultação de seus cadáveres, os chamados “desaparecidos políticos,” como Umberto Câmara Neto, Ruy Frazão, Ranúsia Alves Rodrigues, Ezequias Bezerra da Rocha, entre outros perseguidos que tiveram cassados seus direitos de estudar ou de ministrar suas aulas.

Após o golpe, vários professores foram aposentados compulsoriamente, demitidos e dispensados; funcionários foram punidos com demissões, dispensas, exonerações e “renúncias voluntárias” à diversos cargos. O reitor João Alfredo renunciou por conta da enorme pressão que recebeu. Na ocasião, foram presos Amaro Quintas, Jomard Muniz de Brito, Naide Regueira Teodósio e Bianor da Silva Teodósio, bem como, Pelópidas da Silveira, que era prefeito do Recife. Renomados intelectuais, como Paulo Freire e Josué de Castro foram perseguidos e exilados.

Ressaltamos que as forças armadas brasileiras têm o dever de esclarecer episódios de violação de direitos cometidos durante a ditadura militar.

Inúmeros trabalhos acadêmicos, teses de mestrados e doutorados abordaram o papel criminoso e inconstitucional do Exército no golpe fascista de 1964 além de os relatórios das Comissões da Verdade Nacional e estadual revelarem o envolvimento dessas forças nos crimes cometidos por agentes do Estado; e, revelaram as atrocidades cometidas pela ditadura no Brasil e em Pernambuco como o assassinato sob torturas do Padre Antônio Henrique Pereira Neto, o atentado ao Presidente da UEP Candido Pinto de Melo e a deposição e prisão do Governador Miguel Arraes.

Em razão de tudo que foi exposto, pedimos deferimento da nossa justa reivindicação.

Subscrevemos:

Comitê Memória, Verdade e Justiça para a Democracia – Pernambuco (CMVJ-PE): Edival Nunes Cajá, ex-aluno da UFPE e ex-preso político; Amparo Araújo, ex-aluna da UFPE e forçada a viver na clandestinidade; Marcelo Santa Cruz, ex-aluno da UFPE, cassado pelo Decreto Lei 477;

Grupo de Estudos e Pesquisa Marxista: Prof. Daniel Rodrigues;

Associação de Geógrafos do Brasil – Seção Recife-PE: Prof. Cláudio Ubiratan;

Grupo Direito, Economia, e Política: Profª Juliana Teixeira Esteves[1]UFPE;

Núcleo de Documentação sobre os Movimentos Sociais (NUDOC-UFPE): Soraia de Carvalho;

Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Sociais (NEPPS): Prof Marco Antonio Mondaini;

Movimentos Juvenis na Contemporaneidade, pesquisador: Prof. Michel Zaidan (CNPQ/UFPE);

Laboratório História e Memória da UFPE/TRT 6ª Região: Antônio Torres Montenegro;

Grupo História da Educação das Práticas de Educabilidade no mundo Ibero-americano;

Diretório Central dos Estudantes da UFPE – Umberto Câmara Neto: presidenta Maria Helaine;

Diretório Acadêmico de Administração da UFPE: João Lucas Barbosa Maranhão;

Diretório Acadêmico de Ciências Sociais da UFPE: Anderson Miguel;

Diretório Acadêmico de Odontologia UFPE: Italo Ferreira Monteiro;

Diretório Acadêmico de Engenharia Civil do IFPE: Hilsten de Barros Castro;

Diretório Acadêmico de Enfermagem – CAV-UFPE: Ana Beatriz Marques.

Recife, 25/03/2022

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes