UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 20 de abril de 2024

Bunker feito com dinheiro público foi descoberto no antigo ministério de Damares Alves

Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania descobriu um bunker construído sob ordens da ex-ministra fascista Damares Alves (PL-DF). Este é mais um escândalo da gestão da atual senadora, conhecida por atuar contra os direitos das mulheres. 

Ingrid Marrese Lopes | Redação SC


Mais um escândalo sobre o antigo governo fascista de Jair Bolsonaro, desta vez no Ministério dos Direitos Humanos, foi descoberto. A equipe do atual Ministério revelou que a ex-ministra e pastora Damares Alves ocupava um bunker a poucos metros de seu gabinete e foi utilizado até o fim de 2022. 

O espaço foi reformado com dinheiro público, segundo a Lei de Acesso à Informação. Foi solicitado em caráter de urgência pelo policial rodoviário federal Marco Aurélio Baierle, que atuava diretamente com a segurança da Senadora. Foi gasto cerca de 17 mil reais para incrementar isolamento acústico a nível de falas, cofres para armas e documentos, fechadura biométrica, ar condicionado independente e até mesmo uma fragmentadora de papel para dispensar documentos, o prazo total da obra de reforma do bunker durou 9 meses.

A Senadora já fez seu pronunciamento, anunciando que era apenas um local para preservar sua vida de ameaças. Mas o que sabemos sobre a pastora é no mínimo controverso para o que ela mesma diz defender. Damares tinha muitos aliados, que inclusive aparenta ter a disposição de tirar vidas.

O seu ex-assessor Wellington Macedo, foi preso em janeiro deste ano (2023) por atentado terrorista, pois tentou explodir uma bomba no aeroporto de Brasília. O terrorista foi indicado por Damares e ficou no cargo por cerca de sete meses até ser exonerado. 

Nesse mesmo crime também participou Renan da Silva Sena, ele foi terceirizado da pasta. Ficou conhecido por ser indiciado judicialmente após agressão contra enfermeiras durante um ato em memória das vítimas do genocidio da pandemia de Covid-19 e também financiou o ato terrorista de 8 de janeiro.

E por último, Oswaldo Eustáquio, que está foragido no México, por ser indiciado pelo ato terrorista do dia 8 de janeiro, além do atentado terrorista da bomba. Sua principal ligação com a ex-ministra era coincidentemente sua esposa, Sandra Teresa, ex-secretária de políticas de promoção da igualdade racial do mesmo ministério da pastora.

O que esperar de uma Senadora que possui ligações com criminosos terroristas? 

Para além de seus infames contatos, Damares gerou várias problemáticas, sendo elas judiciais e sociais, devido às atrocidades de falas misóginas, homofóbicas e fora da realidade de trabalhadores que vivem no Brasil. Ela afirmou, por exemplo, que as crianças vítimas de estupro na Ilha de Marajó, no Pará, é porque não usam calcinha pois são pobres.

Fez silêncio em coletiva de imprensa afirmando que é muito difícil uma mulher ficar calada, após lançar campanha de combate à violência contra mulher. Além de ser descoberto pela CGU, corrupção em seu comando no ministério, investigações da PF cumpriram 13 mandados de prisão em cidades nordestinas, que apontaram corrupção entre uma associação privada sem fins lucrativos e a pasta de Damares.

 

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes