UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 21 de abril de 2024

Famílias da Ocupação Luiz Gama realizam ato cobrando os governantes moradias prometidas

Após seis meses do despejo criminoso do Tribunal de Justiça contra as 70 famílias da ocupação Luiz Gama, as ruas do Rio de Janeiro foram ocupadas em um ato político. As famílias reivindicam  moradia digna urgente e que o governo do RJ cumpra com suas promessas.

Adrian Santos* | Rio de Janeiro


LUTA POPULAR – Nesta sexta-feira, (16), as famílias da ocupação Luiz Gama, organizada pelo Movimento de Luta nos bairros, Vilas e Favelas – MLB ocuparam as ruas da região central do Rio de Janeiro em um ato que denunciou os seis meses do despejo da ocupação Luiz Gama.

A ocupação Luiz Gama foi instaurada na rua Alcântara Machado número 24 na região central da capital do Rio de Janeiro. Durante um mês, foi o lar de 70 famílias que mesmo vivendo um cerco ilegal da polícia militar que desde os primeiros minutos da ocupação, tiveram acesso a três refeições por dia, creche para as mães trabalhadoras e diversas outras atividades recreativas e de cultura.

A polícia despejou as famílias na época do Natal, as ameaçando com armas. Até mesmo negou o direito de entrar água e comida na ocupação durante as primeiras 20 horas.

Eleonora Almeida coordenadora da ocupação Luiz Gama e do MLB na Baixada Fluminense, denunciou a falta de respostas mais efetivas por parte dos governantes ” nós estamos aqui hoje pra fazendo essa manifestação pra garantir o nosso direito a moradia digna é um absurdo a quantidade de prédio vazios enquanto as pessoas trabalhadoras padecem tento que pagar altos preços de aluguel.”, disse.

O ato das famílias da ocupação Luiz Gama acontece em meio a uma série de debates que vem acontecendo na cidade do Rio de Janeiro, como a revisão das propostas do executivo que aprofundam desigualdades sociais na cidade e que mais uma vez aponta que não vai existir uma política habitacional que resolva a solução de mais de 350 mil famílias que vivem dentro do déficit habitacional na capital fluminense.

Durante o ato várias foram as manifestações de apoio dos trabalhadores que passavam por alí e como destacou Alexandre Verçosa da coordenação municipal do MLB do rio de janeiro e coordenador da ocupação Luiz Gama ” Nós estamos aqui pra dizer que depois de seis meses de ocupação e mesmo com uma mesa de negociação em movimento nós não vamos descansar enquanto não tivermos a nossas casas garantidas, o povo tá cansada da ladainha do governo fascista do Cláudio castro que mata a gente dentro das favelas e também estamos aqui pra dizer que sabemos muito bem que o prefeito Eduardo Paes sempre foi um inimigo da luta por moradia na nossa cidade.”

O ato foi marcado por um grande grau de combatividade das famílias que deixaram bem claro que não vão dar um minuto de paz para aqueles que não garantem o direito à moradia digna. 

*Coordenador Estadual do MLB

 

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes