UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 30 de maio de 2024

Avanço no caso de Gabriel: Júri popular é marcado após pressão da população.

População pede justiça por Gabriel. Foto: Luisa Medeiros

Após a pressão realizada por movimentos sociais em conjunto com a família e os amigos de Giovanni Gabriel, o caso de seu assasinato tem júri popular marcado para 16 de outubro às 9h00 da manhã.

Julio Lira | Natal


LUTA POPULAR – Giovanni Gabriel era um jovem morador do bairro Guarapes que foi assassinado, em 2020, por policiais ao ir visitar sua namorada. Provas de telefonema, localização de GPS e filmagem indicam que foram 4 policiais os responsáveis pelo homicídio.

O corpo de Gabriel só foi encontrado dias após seu assassinato, por familiares que o procuraram por conta própria, enquanto os jornais policiais locais marginalizavam e as autoridades abandonavam o caso e não se importavam em fazer a busca pelo corpo como deveriam.

Após jornadas de ato exigindo justiça, puxadas por movimentos sociais, familiares e amigos, 3 suspeitos foram detidos e passaram mais de um ano aguardando julgamento em regime de reclusão. Em 2022, a pedido da defesa dos policiais, o desembargador permitiu que aguardassem julgamento em liberdade e seguem dessa forma até hoje.

Neste ano, os parentes e amigos de Gabriel junto com diversos movimentos sociais foram ao tribunal de justiça do RN, com cartazes e faixas, exigindo celeridade no processo e júri popular, já que já haviam se passado 3 anos de impunidade.

Hoje, no dia 27 de Julho, após 3 anos, foi definida a data para haver o júri popular, na vara de Parnamirim – RN (onde o processo se encontra): Dia 16 de outubro às 9h00 da manhã.

“O advogado me ligou agora de manhã falando que  tinha saído a sentença do juiz… Pra mim foi uma mistura de sentimentos: O de justiça e o de que a ficha caiu que meu filho morreu, e que minha luta não foi em vão”, relata Priscilla, mãe de Gabriel, ao receber a notícia.

Processos como o de Gabriel infelizmente são muito comuns, principalmente para moradores das periferias. São tantos abusos que muitas famílias que passam por situações como essa, não chegam nem mesmo a abrir um processo contra os assassinos, com medo de represálias e certeza da impunidade dos criminosos. 

Familiares e amigos de Gabriel enfrentaram e decidiram lutar por memória, verdade e justiça. Ter essa data definida já está sendo uma grande vitória, mostrando que quando o povo pobre luta por justiça, por mais difícil que seja, a vitória é certa!

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes