UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 14 de abril de 2024

Imperialismo está por trás das milhares de mortes em inundações na Líbia

Enchentes na Líbia, causadas pelo furacão Daniel, podem ter causado a morte de 20 mil pessoas. País é vítima de 12 anos de guerra civil e espoliação de potências imperialistas.

Felipe Annunziata | Redação


INTERNACIONAL – Desde o último dia 9, a população da Líbia, no Norte da África, vem sofrendo as consequências das inundações causadas pelo furacão Daniel. Segundo o prefeito de Derna, a cidade mais afetada, cerca de 20 mil pessoas (ou 20% da população da cidade) podem ter morrido no desastre.

O furacão jogou sobre o país saariano uma enorme quantidade de chuva que causou um rompimento de uma série de barragens e pontes do Wádi que cortava a cidade. Wádi é um tipo de rio sazonal existente nas áreas do deserto do Saara, onde está a Líbia. Durante a maior parte do ano o leito do rio fica seco.

A cidade de Derna, no leste, é cortada por um Wádi, que atingiu níveis históricos por conta do furacão o que levou ao rompimento das barragens. As imagens aéreas mostra a cidade líbia completamente devastada, como se tivesse sido atingida por um tsunami.

Líbia sofre 12 anos de intervenções imperialistas

A Líbia hoje é vítima de uma das mais brutais intervenções imperialistas em curso no mundo. Desde 2011, quando a União Europeia, os EUA e grupos fundamentalistas derrubaram o presidente Muammar Gaddaffi, o país é vítima de uma guerra civil.

Hoje o país está dividido entre duas facções apoiadas por potências estrangeiras. No oeste, se concentra na capital, Trípoli, o chamado Governo do Acordo Nacional, que é apoiado pela Turquia, Itália e Reino Unido. Já no leste, onde se encontro Derna, está o governo da Câmara de Representantes da Líbia e do Exército Nacional Líbio, apoiados pela Rússia, França, Arábia Saudita e outros países de maioria muçulmana.

O fato é que a Libia, que tinha o maior IDH da África em 2011, é hoje um dos países mais pobres do mundo. O imperialismo, especialmente o europeu, alimenta a guerra no país para garantir suprimentos de gás e petróleo baratos vindos do país. O povo líbio é hoje vítima de uma das guerras esquecidas no mundo.

Com as enchentes causadas pelo furacão Daniel, ficou exposta a exploração da Líbia. A guerra civil e a espoliação fizeram com que a nação africana não tivesse nem serviços de meteorologia, nem de defesa civil funcionais.

O furacão também causou fortes tempestades na Itália e na Grécia, mas com danos muito menores. A intervenção imperialista possibilitou que 20% da população de uma cidade inteira fosse morte num desastre evitável.

A situação mostra como não há solução para os povos do mundo sem a derrota de todas as potências imperialistas. Os governos em guerra hoje na Líbia levam seu povo à morte em nome das benesses desta ou daquela potência estrangeira. A única saída é a derrota destes setores reacionários e o estabelecimento de um governo dos trabalhadores sem a interferência externa.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes