UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 20 de abril de 2024

Recife tem maior taxa de desemprego de todas as Regiões Metropolitanas

Recife apresenta o índice de desemprego mais alto entre todas as capitais brasileiras no segundo trimestre de 2023. Além da região metropolitana, o estado de Pernambuco também apresenta o maior índice de desocupação do Brasil.

Jesse Lisboa | Recife


A incapacidade do sistema capitalista em garantir o direito básico ao trabalho para a população é um problema global, e essa incapacidade é explícita na cidade do Recife, em Pernambuco, especialmente a partir de pesquisas estatísticas recentes. No segundo trimestre de 2023, Recife registrou a maior taxa de desemprego entre todas as capitais do Brasil. De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desocupação na Região Metropolitana do Recife atingiu 16,9%, superando as demais cidades do país. 

Além da região metropolitana, o estado de Pernambuco também apresenta o maior índice de desocupação do Brasil, com 14,2%, isto é, 600 mil pessoas. A gestão da governadora Raquel Lyra (PSDB) tem se mostrado defensora do setor privado em detrimento da qualidade de vida da classe trabalhadora, contribuindo para a continuação desse problema. As políticas que priorizam as privatizações de setores públicos e os cortes no seu orçamento negligenciam os direitos dos trabalhadores, tornando ainda mais difícil para aqueles que estão desempregados ou empregados informalmente.

É importante notar que, embora a taxa de informalidade em Pernambuco tenha registrado uma leve queda de 0,7% em relação ao trimestre anterior, ainda permanece muito alta, com 48,1% da população ocupada trabalhando sem carteira assinada. Esse dado evidencia a situação vivida por quase metade de todos os trabalhadores pernambucanos, que continuam enfrentando condições de trabalho precárias e falta de auxílios por parte do Estado.

A pandemia

Gráfico de comparação entre a taxa de desocupação de Pernambuco e a média do Brasil, desde o 1º trimestre de 2020. Foto: JAV/PE

Durante os últimos três anos, a pandemia da COVID-19 agravou a situação precária de todos os trabalhadores, especialmente aqueles que não possuem carteira assinada e são forçados a aceitar as piores condições possíveis para sobreviver. O reflexo dessa situação ainda é sentido nos dias de hoje, pois não houve políticas públicas efetivas a favor da reparação desse cenário.

O Estado de Pernambuco sempre manteve a taxa de desocupação acima da média brasileira, no entanto, com a pandemia esse índice foi acentuado, chegando a mais de 20% no primeiro semestre de 2021. Hoje, esse índice se mantém em torno dos 14%, o que ainda representa um valor extremamente alto. A recuperação econômica após os impactos da pandemia deve ser prioridade do atual governo, o que exige esforços para desenvolver políticas públicas voltadas para melhoria das condições de trabalho. 

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes