UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 29 de maio de 2024

Manifestantes no Recife participam de Ato Mundial pelo fim do genocídio do povo palestino

“Manifestantes no Recife se juntaram a milhares de pessoas pelo mundo, neste 4 de novembro, Dia Mundial de Solidariedade ao Povo Palestino, protestando contra o genocídio e exigindo o fim das violações dos direitos humanos.”

Jesse Lisboa | Redação PE


Centenas de pessoas saíram às ruas na cidade do Recife e em diversas cidades do Brasil no último sábado (4), para protestar contra o genocídio do povo palestino. O ato foi organizado pelo Comitê de Solidariedade Palestina Pernambuco, e reuniu diversos movimentos sociais e políticos em defesa da causa palestina. O tom da manifestação  foi de denúncia às violações dos direitos humanos cometidas por Israel contra a população palestina, que vive sob ocupação militar há mais de 70 anos.

Esse ato fez parte de uma mobilização internacional em defesa dos direitos humanos e contra a ocupação israelense nos territórios palestinos. Manifestantes exibiram faixas, cartazes e bandeiras com mensagens de apoio à causa palestina e de repúdio às violações cometidas por Israel e Estados Unidos. Diversos discursos e palavras de ordem foram chamadas, como “Palestina livre” e “Abaixo o terrorismo de Israel”. O ato se concentrou na Praça Oswaldo Cruz, centro do Recife, e percorreu a Avenida Conde da Boa Vista, até se concentrar novamente em frente ao Consulado Geral dos EUA no Recife.

Ato simbólico em frente ao Consulado dos EUA Foto: João Rodrigues

A decisão do trajeto do ato ir para o Consulado dos EUA se deu por conta da situação se agravar com o apoio dos Estados Unidos a Israel, que fornece bilhões de dólares em ajuda militar e diplomática ao país aliado. Os EUA vetam qualquer resolução da ONU que condene as violações de Israel ou que reconheça a Palestina como Estado soberano. Além disso, os EUA reconheceram Jerusalém como capital de Israel em 2017, contrariando o consenso internacional de que a cidade é sagrada para as três religiões monoteístas. Essa decisão provocou uma onda de protestos e violência na região, assim como está acontecendo em 2023.

“Esse ato teve uma importância muito grande, pois se juntou a vários atos simultâneos que aconteceram no mundo inteiro, a partir de uma convocação para a realização de atos contrários ao genocídio do povo palestino e exigindo o cessar-fogo imediato.”, declara André Frej, da Aliança Palestina Recife.

“É importante destacar também o nosso apelo ao Governo Brasileiro para que rompa relações diplomáticas com o Estado de Israel, suspenda os acordos, contratos, etc., que financiam todo esse massacre, essa a limpeza étnica que ocorre desde 1948 nos territórios ocupados. A Aliança Palestina Recife e o Comitê de Solidariedade Palestina Pernambuco estarão construindo novos atos mediante a necessidade desse cessar-fogo imediato, porque a gente está presenciando uma catástrofe humanitária. Por isso, pedimos para que marquem a data de 29 de novembro, que é o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino, estabelecida pela ONU, pois nesta data estaremos novamente denunciando os crimes de lesa-humanidade praticados pelo estado terrorista de Israel.”, conclui André.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes