UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sexta-feira, 19 de abril de 2024

Estudantes conquistam a reabertura e a diminuição do preço do RU da UFPE em Caruaru

O valor do Restaurante Universitário do CAA-UFPE, que antes chegava a quase R$ 14,00, hoje custa R$ 5,34 para almoçar e R$ 4,76 para jantar graças ao longo período de mobilização e reivindicação dos estudantes. O Movimento Correnteza convoca os estudantes para continuarem a luta pela ampliação da assistência estudantil. 

Maria Santos* | Caruaru-PE


EDUCAÇÃO – O Restaurante Universitário (RU) é uma das principais políticas de assistência estudantil para garantir a permanência dos estudantes na universidade. Grande parte, se não a maioria, dos estudantes depende do RU para se alimentar entre os turnos de aula, estudo ou trabalho. Contudo, é preciso que ele seja acessível a toda comunidade acadêmica tanto no valor quanto na qualidade da refeição oferecida. Tendo alimentação de qualidade garantida, os estudantes têm mais oportunidade para desenvolver suas atividades acadêmicas e profissionais com mais tranquilidade.

O Campus Acadêmico do Agreste (CAA) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), localizado em Caruaru, foi o primeiro campus da UFPE no interior do estado e atende principalmente ao município e às cidades vizinhas como uma das principais universidades federais para a formação acadêmica e profissional da região. Dessa forma, torna-se muito mais evidente a necessidade de ampliação da assistência estudantil para que os estudantes não apenas ingressem nos cursos de graduação, mas que permaneçam até o fim e continuem desenvolvendo os estudos na pós-graduação, no mestrado e no doutorado.

Em contrapartida, o CAA-UFPE possuía um dos restaurantes universitários mais caros do Brasil, com refeições custando quase R$ 14,00 no jantar. Nós, do Movimento Correnteza, desde a nossa gestão no Diretório Central dos Estudantes (DCE) – Eu Defendo a UFPE (2019), construímos uma campanha de denúncias e reivindicação pela diminuição do valor absurdo das refeições por meio de atos, ocupação da Reitoria e mobilização dos estudantes, além de defender a ampliação do espaço para que mais estudantes acessem o local.

Vitória do Movimento Estudantil!

Após longo período de denúncias e mobilização, o Restaurante Universitário do CAA-UFPE fechou em dezembro de 2023, próximo ao recesso de final de ano, para a reforma do espaço. No dia 29 de janeiro de 2024, o RU teve a sua cerimônia de reabertura com um novo subsidio de 60% para o almoço, que passou a custar R$ 5,34, e janta, que agora custa R$ 4,76, direcionado aos estudantes da graduação, com a continuidade da política de 100% do subsídio das refeições para os estudantes contemplados pelas bolsas de assistência estudantil, com algumas mesas a mais em um espaço improvisado e comida de qualidade. 

A cerimônia de reabertura e a nova política do RU representou uma vitória do Movimento Estudantil da universidade e para toda a comunidade acadêmica local. 

A luta continua!

Apesar dessas vitórias de extrema importância, a luta pela ampliação da assistência estudantil no CAA-UFPE continua, uma vez que os estudantes de mestrado e doutorado não foram contemplados pela nova política de acesso ao RU no horário do almoço. Para os servidores do campus o valor também não foi reajustado, eles continuam a pagar o caro preço anterior para poderem se alimentar. 

Além disso, a reforma de ampliação do espaço físico do RU ainda segue pendente e outras políticas de assistência, como as bolsas, continuam precisando de reajustes no valor e na quantidade de estudantes contemplados, visto que hoje não atendem todas as pessoas que precisam. 

Essas pendências nas políticas de assistência também são consequência da falta de investimento que as universidades federais estão sofrendo, pois o CAA-UFPE ficará sem verbas até o início do próximo semestre letivo, de acordo com o Diretor do Campus, Dilson Cavalcanti. 

Por isso, o Movimento Correnteza volta a convocar todos os estudantes a se somarem nas próximas atividades e mobilizações no campus para avançarmos o debate sobre a assistência estudantil, cobrar por mais investimento na educação e ocupar todos os locais de debate que pertencem aos estudantes do CAA.

*Maria Santos é vice-presidente da UEP Cândido Pinto

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes