UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 18 de junho de 2024

Procurador de tribunal internacional pede prisão de Netanyahu

Em declaração divulgada hoje (20/05), o procurador do Tribunal Penal Internacional, Karim Khan, pediu a prisão do líder do regime sionista Benjamin Netanyahu e do ministro da defesa de Israel Yoav Gallant. A procuradoria acusa Netanyahu e Gallant de crimes de guerra e contra a humanidade.

Redação


INTERNACIONAL – De acordo com o procurador escocês Karim Khan, os membros do governo de israel estariam cometendo crimes contra a humanidade e de guerra durante o genocídio de Gaza. Desde o início da nova fase de repressão ao povo palestino, o exército sionista de Israel já assassinou quase 40 mil pessoas e deixou mais de 100 mil feridas, e 2 milhões de palestinos sem casa, sendo a ampla maioria das vítimas mulheres e crianças.

“Nos entendemos que os crimes contra a humanidade dos quais os acusamos foram cometidos como parte de um ataque sistemático e generalizado contra a população civil palestina nos termos de uma política de Estado. Estes crimes, na nossa avaliação, continuam em curso até hoje.”, afirmou o procurador.

Desde fevereiro que tribunais internacionais investigam os crimes de Israel contra o povo palestino. As ações judiciais começaram a ganhar força após a acusação da África do Sul contra Israel na Corte Internacional de Justiça, onde os sul-africanos apresentaram provas da política de genocídio do povo palestino.

A procuradoria do Tribunal Penal Internacional (que, assim como Corte Internacional de Justiça, é sediada em Haia, Holanda) leva as acusações contra os sionistas a um novo capítulo. Antes, apenas o Estado de Israel estava sob investigação, agora os membros do governo israelense e das forças armadas sionistas também terão de responder pelos seus crimes genocidas.

Segundo a procuradoria, estes são os crimes que Netanyahu e Yoav Gallant cometerem em Gaza desde outubro de 2023:

  • Fome provocada como método de guerra;
  • Impor intencionalmente grande sofrimento ou lesões ao corpo ou saúde das pessoas;
  • Morte intencional ou o assassinato em massa como método de cometimento de crimes de guerra;
  • Direcionar ataques intencionalmente à população civil de Gaza;
  • Extermínio em massa no contexto das mortes causadas pela fome;
  • Perseguição contra o povo palestino;
  • Outros atos desumanos como crime contra a humanidade.

Agora, o tribunal vai julgar os pedidos de prisão. Caso seja aceito, todos os países que fazem parte do tribunal terão a obrigação de prender Netanyahu e o ministro da guerra israelense caso eles entrem em seus territórios.

A prisão e julgamento de Netanyahu e todos os genocidas do Estado de Israel é uma necessidade para para o genocídio em Gaza. O enfrentamento e boicote internacional ao Estado sionista é também outro ponto fundamental para se conquistar finalmente a libertação do povo palestino e a constituição do seu Estado.

 

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes