TwitterFacebook

Categoria: Últimas Notícias

Últimas notícias

Movimento Olga Benario presente nas escolas

Nesse cenário em que vários dos nossos direitos estão sendo cortados e as opressões tem aumentado, é necessária a nossa organização. Derrubar um sistema que se estrutura sob explorações e a construção de uma nova sociedade, onde as mulheres sejam livres, de fato, é dever de quem se indigna diante das mazelas criadas pelo capitalismo! Por isso, convidamos todas as mulheres, em especial as secundaristas a se organizarem com a gente, para juntas, criarmos resistência às injustiças que vivemos e construirmos uma sociedade onde a vida valha mais do que o lucro.…

Leia mais

Cortar da educação é cortar pela raiz o futuro do país

No último período a mobilização popular dos setores da educação conquistou a histórica aprovação do FUNDEB, o adiamento do ENEM e a derrubada das MP’s 914 e 979 (que tratavam do processo de escolha dos dirigentes das Instituições Federais de Ensino). É com essa perspectiva que, entidades da sociedade civil organizada ligadas à educação, parlamentares e movimentos sociais vêm construindo um amplo debate e mobilizações em defesa de um orçamento justo para a educação e contra o corte de verbas proposto pelo governo Bolsonaro.…

Leia mais

A inserção das pessoas com deficiências nos movimentos populares

Na sociedade capitalista, a luta contra o capacitismo tem muito a evoluir. Como podemos perceber, nos movimentos o debate que vem sendo feito e é fundamental para o avanço que as pessoas com deficiência estejam inseridas no contexto das lutas sociais. A construção do poder popular será efetiva quando homens, mulheres, indígenas, negros, negras, quilombolas e pessoas com deficiência realmente ocuparem os espaços de decisão. É por isso, que a Unidade Popular pelo Socialismo foi fundada, para representar todos e todas e para termos um país mais justo e igualitário.…

Leia mais

Movimento Olga Benario realiza ações de solidariedade no Rio de Janeiro

O Movimento de Mulheres Olga Benario no Rio entendeu que era importante não parar a luta mesmo com as dificuldades no período de pandemia. O ataques contra as mulheres e a classe trabalhadora não cessaram: demissões em massa, dificuldades em garantir o auxílio emergencial, a diminuição do valor do auxílio, aumento da violência contra a mulher, o aumento dos preços de alimentos entre outras dificuldades.…

Leia mais

Venezuela à beira de um ataque imperialista dos EUA

Numa clara demonstração de desespero eleitoral, o governo Trump prepara um ataque militar a Venezuela sob o pretexto de “devolver a democracia ao país”. Para justificar tal posição, Trump, sem comprovação alguma, acusa o governo Maduro de ser ligado ao narcotráfico, ao terrorismo e ser um risco à segurança da região.…

Leia mais

Trabalhadores retornam do home office na Atento em São Bernardo do Campo

Os trabalhadores da empresa de telemarketing Atento iniciaram uma paralisação no dia 19 de março contra as más condições sanitárias da empresa em meio a pandemia.

Fruto dessa luta organizada pela Unidade Popular (UP) e pelo Movimento Luta de Classes (MLC), os trabalhadores conquistaram melhorias nas condições do ambiente de trabalho, transferência de vários trabalhadores para o trabalho remoto e a garantia de quarentena para quem fazia parte do grupo de risco.

Após 5 meses da mobilização, os trabalhadores que estavam em trabalho remoto estão voltando ao trabalho presencia. O Jornal A Verdade entrevistou Pedro (nome fictício) sobre a situação dos operadores e operadoras da Atento nesta tentativa de retorno.…

Leia mais

Sem justiça, sem paz: três meses do assassinato de Guilherme na Vila Clara

Mais um jovem negro teve sua vida tirada pelas mãos da Polícia Militar em 14 de junho deste ano, nas ruas da Vila Clara, divisa da capital paulista com Diadema. Guilherme da Silva Guedes, 15 anos, foi sequestrado por dois policiais à paisana na frente da casa da avó. O jovem negro foi encontrado, horas depois, em Diadema, com dois tiros na cabeça e com muitas marcas de tortura. A comunidade se revoltou com a violência policial recorrente contra a juventude do bairro e iniciou protestos na região que resultaram em avenidas fechadas e ônibus incendiados por toda a semana.3,
A Zona Sul de São Paulo é a região mais violenta da capital: registra 1 a cada 5 dos homicídios que acontecem na cidade. No primeiro semestre deste ano, a Polícia Militar de São Paulo matou 498 pessoas, equivalente à um terço do total de homicídios no estado. O Jornal A Verdade escutou dona Vera Lúcia Rodrigues, 52 anos, avó do Guilherme, moradora da Vila Clara, zona sul de São Paulo. Guilherme morava com ela.…

Leia mais

Centro-oeste em chamas

Bolsonaro não acionou o exército para conter as chamas. Pelo histórico, o exército só serve para ameaçar o Supremo Tribunal Federal (STF) quando ele se sente ameaçado em algum processo político. A necessidade de prevenir danos irreversíveis ao meio ambiente não desperta o mesmo interesse, todavia, reconheçamos o seguinte: ninguém esperava mais desses covardes que ocupam os cargos de presidente da república, ministro do meio-ambiente e governos dos estados.…

Leia mais

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações