TwitterFacebook

“Eu defendo a UFPE” vence eleição para Diretório Central dos Estudantes

Jornal A Verdade, edição nº 222, novembro de 2019, Página 07.

Victor Hugo


Foto: Jornal A Verdade

PERNAMBUCO – Nos dias 23 e 24 de outubro, ocorreu a eleição de reabertura do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (DCE-UFPE).  Um marco importante e histórico para o movimento estudantil nacional, já que fazia oito anos que os estudantes estavam sem representação estudantil, na principal universidade do Nordeste.

Um processo longo, e que foi possível graças à participação ativa do Movimento Correnteza e de vários outros movimentos, que se articularam com os Diretórios Acadêmicos (DA) da Universidade e convocaram o pleito no Conselho de Entidades de Base (CEB). Outra importante movimentação foi a votação, em assembleia estudantil, de mudanças no Estatuto da entidade: a redução do quórum da eleição para 10% (antes 30%) e o modelo de gestão de proporcional para majoritário. 

Diante disso, para a disputa eleitoral foram inscritas duas chapas: “Todas as Vozes” (UJS, Levante Popular da Juventude, PSB, Coletivo Luta e PDT), que obteve 3.694 votos, e “Eu defendo a UFPE” (Correnteza, UJC, RUA, Afronte, Articulação de Esquerda, Quilombo, Enfrente e ParaTodos), com 3.976 votos, que saiu vencedora na eleição. A chapa vitoriosa coloca como principal bandeira “reafirmar o compromisso em defesa da universidade pública, gratuita e de qualidade”, além da importante pauta do Restaurante Universitário (RU) para todos os estudantes.

Iany Morais, do curso de Comunicação Social de Caruaru, afirma: “Nosso DCE chega para fortalecer os grupos de oposição dentro da União Nacional dos Estudantes e a base da União dos Estudantes de Pernambuco (UEP). Além de estar à disposição dos estudantes pernambucanos e brasileiros, somando força para resistir aos ataques do governo, garantir nossos direitos e seguir lutando em defesa da universidade. Será, sem sombra de dúvidas, uma gestão combativa, popular e sem medo”.

Também Maria Elaine, presidente do DA de Geografia – campus Recife, coloca: “Essa vitória no DCE-UFPE é a prova de que os estudantes estão ligados politicamente. Foi um mês conversando com estudantes de todos os centros, passando em sala todo dia, fazendo agitação e copinho (ajuda financeira dos estudantes), além de ter formado a chapa passando em sala. A outra chapa tinha bem mais estrutura, material bonito, gente de todos os cantos do país, e, mesmo assim, a coerência política venceu. Pois estudantes pobres, negros, pais, mães, LGBTs ocupam cada vez mais a nossa universidade e sentem a necessidade de não banalizarmos nenhuma dessas pautas”.

O fato de a UFPE estar, há anos, sem DCE mostrava a dificuldade de organização e coesão entre os estudantes para lutar em defesa de seus direitos. Agora, os estudantes da UFPE optaram por eleger a chapa que tem energia e disposição para criar a unidade e a resistência necessárias para derrotar o Governo Bolsonaro e seu projeto de privatização das Universidades Públicas, “Future-se” (leia-se “Fatura-se”) e avançar na luta por uma educação pública, gratuita e de qualidade e por um país verdadeiramente justo e democrático.

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações