UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 6 de outubro de 2022

Crivella e empresários querem acabar com o Bilhete Único Universitário

INSATISFAÇÃO POPULAR – Manifestação contra cortes no bilhete único no Rio. (Foto: Reprodução/ATS)
Paulo Rodrigues

RIO DE JANEIRO – Milhares de estudantes universitários do Rio de Janeiro foram surpreendidos pelas alterações das normas de obtenção do Bilhete Único Universitário (BUU), que dá direito ao transporte público gratuito aos estudantes e é garantido pelo Decreto nº 38.280/2014.

Antes das mudanças feitas pelo prefeito Marcelo Crivella, bastava o estudante comprovar a condição familiar de baixa renda para ter direito ao BUU. Contudo, a Resolução nº 3.204, da Secretaria Municipal de Transporte, passou a determinar que, para acessar o direito ao passe-livre universitário, o estudante agora precisa comprovar que cursou todo o ensino médio em escola pública ou foi bolsista integral em escola privada.

Dessa forma, passa a ser determinante a procedência escolar para que o estudante de baixa renda tenha direito ao BUU, prejudicando, assim, milhares de estudantes que não necessariamente estudaram toda sua vida em escolas públicas, mas que, nem por isso, são ricos. 

Vale ressaltar que os principais prejudicados por este ataque covarde da Prefeitura do Rio de Janeiro são os estudantes filhos da classe trabalhadora, que, com muito sacrifício e esforço, conseguiram ingressar no ensino superior e que, agora, veem sua permanência na universidade ameaçada por esta medida. Afinal, quantos jovens terão condições de pagar R$ 4,05 em cada passagem de ônibus para ir estudar todos os dias? Esta é a forma de o prefeito Marcelo Crivella “cuidar das pessoas”.

Desde que assumiu, o projeto político da Prefeitura para a Educação é intensificar a precarização do ensino, super explorar a força de trabalho dos professores e impedir que nossos jovens realizem o sonho de cursar o ensino superior. Para Crivella, pobre não tem direito de sonhar e tem como única finalidade se matar de trabalhar.

Cassar o BUU é também impedir o direito à cidade de milhares de jovens cariocas. Tudo isso em nome do lucro de alguns empresários que monopolizam o setor dos transportes em nossa cidade e que salivam só de pensar no dinheiro a mais que terão com o fim do benefício. A única parcela da sociedade que ganha com essa atitude ultrajante é a dos donos dos meios de transporte.

Por isso, precisamos ir às ruas e, por meio de atos e manifestações, lutar pelo restabelecimento das antigas regras de acesso ao BUU.

Uma vitória nesse sentido foi conquistada em razão das mobilizações dos estudantes, que conseguiram estabelecer na lei que os alunos que têm bolsas de mais de 50% também serão contemplados pelo BUU. Porém, a luta deve seguir e avançar nos direitos, exigindo, por exemplo, o BUU intermunicipal, uma vez que muitas pessoas que estudam no Rio de Janeiro moram em outras cidades da Região Metropolitana.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes