TwitterFacebook

Eslane Paixão é pré-candidata a prefeita de Salvador pela UP

Eslane Paixão, pré-candidata da UP a prefeitura de Salvador. Foto: reprodução.

Da Redação-BA

Eslane Paixão, 27 anos, moradora do Uruguai, bairro da região da Cidade Baixa de Salvador e presidente estadual da Unidade Popular na Bahia foi recentemente lançada como pré-candidata a prefeitura da capital baiana. Ao Jornal A Verdade, a militante do movimento popular contou um pouco da proposta central de sua pré-candidatura a terceira maior cidade do país e disse que o projeto que defende é a “expressão da maioria da nossa cidade de mulheres negras e trabalhadoras que historicamente carregam a Cidade mas que sempre teve em sua representação homens brancos e ricos ou que enriqueceram as custas da vida pública”.

A VERDADE – Nos conte um pouco da sua história

Eslane Paixão – Dei início a minha militância política no Movimento Estudantil em Feira de Santana, minha cidade natal. Fui presidenta da AMES (Associação Municipal dos Estudantes Secundaristas) e diretora de mulheres da UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas). Nos últimos anos tenho me dedicado a luta por moradia digna para o povo pobre e participei da Ocupação Luisa Mahin do MLB (Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas), onde conquistei o meu auxílio aluguel. Coordenei as duas Ocupações Maria Felipa, também do MLB, fortemente reprimidas pela Polícia Militar, mesmo sem mandado de reintegração de posse. Além de Coordenadora Estadual do MLB, faço parte do Movimento de Mulheres Olga Benário e fui reeleita Presidenta Estadual da Unidade Popular – UP.

AV- Como está atualmente o processo de construção da UP em Salvador?

EP- Está muito boa. Desde a oficialização do registro tem crescido muito o interesse das pessoas em conhecer a UP. O trabalho na Capital toma bastante tempo e energia de nossa militância porém o trabalho que está sendo feito no interior também tem sido muito significativo e importante para o crescimento da Unidade Popular como todo, nos possibilitando a construção do trabalho em mais cidades do interior.

AV- Em quais lutas a UP está mais diretamente envolvida nesse momento na Bahia e em Salvador?

EP- A luta em defesa da moradia digna sem dúvidas vem sendo uma das mais importantes bandeiras da UP junto ao MLB nesse ultimo período, não só no município de Salvador, mas como a nível estadual. Também as lutas em defesa da educação contra o fechamento de Escolas Estaduais na Bahia, em especial a Escola Odorico Tavares que o Governo fechou por estar em uma rua de apartamentos de luxo, contra reforma da previdência do estado e como também nas lutas com os estudantes na defesa do passe livre estudantil e contra os aumentos abusivos de passagens.

Eslane no seu trabalho em defesa da moradia digna com o MLB. Fonte: Jornal A Verdade.

“Não decidimos lançar uma pré-candidatura só para disputar o poder em Salvador para ter cargos, mas sim pra colocar o nosso programa na rua.”

AV- O que a UP defende pra sua cidade?

EP- A UP defende que Salvador passe a ser uma cidade voltada pra maioria da classe trabalhadora e não somente para as elites. Nossa pré-candidatura foi lançada apoiada em seis eixos iniciais:

1- Morar Dignamente é Direito Humano! Defendemos a destinação, para fins de habitação de interesse social, de todos os imóveis públicos municipais abandonados, além de mapear e iniciar o processo de desapropriação dos imóveis privados abandonados da cidade, conforme estabelecido pelo Estatuto das Cidades.

2- Creche pra nossas crianças! E defesa da Educação pública em tempo de ataques sombrios! Investimento prioritário em creche para já nos dois primeiros anos de mandato universalizar o acesso.

3- Estatização do transporte público com tarifa zero! Financiar o transporte público com impostos das empresas de médio e grande porte, já que a maior utilização do transporte público pelos trabalhadores e trabalhadoras é para chegar no emprego.

4- Saúde para o povo pobre! Priorizar o investimento na saúde pública para que Salvador deixe de ser a Capital do Nordeste com Menor Cobertura em Atenção básica. Fim das OS´s e do lucro na saúde pública de nossa Cidade.

5- Combate efetivo à violência à Mulher!

6- Redução do salário da Prefeita e dos Vereadores para a média salarial das professoras do município (R$ 2.934,23) e condicionar reajustes futuros da chefe do executivo e dos vereadores ao das professoras. Política não é negócio para um vereador ganhar 18.000,00 reais!

AV- Como a UP chegou ao seu nome como pré-candidata?

EP- Foi algo construído ao longo desse último período de lutas e debates com o conjunto da militância. Não decidimos lançar uma pré-candidatura só para disputar o poder em Salvador para ter cargos, mas sim pra colocar o nosso programa na rua. E ser também uma expressão da maioria da nossa cidade de mulheres negras e trabalhadoras que historicamente carregam a Cidade mas que sempre teve em sua representação homens brancos e ricos ou que enriqueceram as custas da vida pública.

AV- Por fim, o que mais você gostaria de falar para os nossos leitores?

EP- É hora de ir à luta! Nosso povo vive uma escravidão que não acabou, só mudou de formato. Temos hoje na Presidência da república um Presidente Fascista que quer dar um Golpe de Estado para aprofundar ainda mais os ataques contra os pobres. Precisamos construir o poder popular e para isso temos que fazer uma revolução nesse país. Fora Bolsonaro! Por um governo popular!

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações