UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 13 de agosto de 2022

Belém entra em consórcio para compra de vacinas

Centro de Belém

BELÉM – Durante as eleições de 2020, a população de Belém, capital do Pará, optou por eleger a coligação “Belém de Novas Ideias”, composta por PSOL, PT, PCdoB, PDT, UP e Rede, com o objetivo de sairmos o mais rápido possível da crise gerada pelo novo coronavírus e aprofundada pelo governo incompetente de Bolsonaro. O resultado prático de termos um “governo da nossa gente”, slogan da gestão, é a participação no consórcio público para a compra de vacinas, aprovado por unanimidade na Câmara Municipal de Belém no último dia 16.

O Projeto de Lei de autoria da Prefeitura conta com a organização da Frente Nacional de Prefeitos, responsável pela parceria com laboratórios nacionais e estrangeiros. A medida é extremamente importante em função de que a taxa de ocupação de leitos clínicos é de mais de 90% em leitos clínicos e de quase 90% em leitos de UTI.

Atualmente, dois mil municípios são signatários do consórcio, com recursos próprios da arrecadação municipal para aquisição. No caso de Belém, o Projeto de Lei 364/2021 prevê também abertura de dotação orçamentária própria para a compra de medicamentos, insumos e equipamentos hospitalares. Vale ressaltar que a frente tomou iniciativa a partir da demora do Governo Federal em estabelecer diretrizes sobre as vacinas, estocar testes e negar abertamente as medidas que efetivamente propiciam o combate ao vírus.

Nas mídias sociais, o prefeito Edmilson Rodrigues (PSOL) comemorou a decisão unânime no plenário: “A compra de vacinas é obrigação do Governo Federal, mas estamos unindo esforços para garantir vacinas para todos e todas. Agradeço aos vereadores e vereadoras pelo compromisso com a vida da população de Belém”.

Raquel Brício, presidente estadual da Unidade Popular, também se posicionou: “Diante da desastrosa condução do Governo Federal no combate à Covid-19, essa decisão é fundamental”.

Não é a primeira vez que a Prefeitura de Belém toma a vanguarda entre as capitais, no dia 8 de março, Dia Internacional das Mulheres Trabalhadoras, começou o pagamento do programa de transferência de renda municipal, o “Bora Belém”, de iniciativa do poder executivo, que tem como objetivo auxiliar famílias em extrema vulnerabilidade social com valores que vão de R$ 150,00 a R$ 450,00, mostrando que, ainda que com um orçamento extremamente apertado e ínfimo em comparação ao orçamento federal, é possível construir políticas públicas para os mais pobres.

Welfesom Alves, militante da Unidade Popular

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes