TwitterFacebook

Poesia | Para todas Elas

(Foto: JAV/Rio)

Uns diriam que ela está adormecida
Outros dizem que nunca conseguirá
Mas em seu seio a magia está acontecendo
Escondida, em progresso constante

Ali dentro se produz
O poderoso fruto vermelho
Advindo da fome, da vontade, da seca
De casca firme
De carne profunda

Tanto tempo dedicado
Ao fim dessa dor cruel
Mulher teu corpo é a obra da Revolução
Mulher tua pele sangra pela Liberdade
Mulher tua alma é mudança 

Seja como for, sem você, o processo será em vão
Em cada uma de nós
Há uma resposta
E do teu ventre, eu tenho certeza
Sairão corpos livres,
Que não viverão
Mais nenhuma agonia

Diovana Nogueira Marino
Rio de Janeiro

 

 

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações

%d blogueiros gostam disto: