UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 9 de agosto de 2022

Poesia | Para todas Elas

(Foto: JAV/Rio)

Uns diriam que ela está adormecida
Outros dizem que nunca conseguirá
Mas em seu seio a magia está acontecendo
Escondida, em progresso constante

Ali dentro se produz
O poderoso fruto vermelho
Advindo da fome, da vontade, da seca
De casca firme
De carne profunda

Tanto tempo dedicado
Ao fim dessa dor cruel
Mulher teu corpo é a obra da Revolução
Mulher tua pele sangra pela Liberdade
Mulher tua alma é mudança 

Seja como for, sem você, o processo será em vão
Em cada uma de nós
Há uma resposta
E do teu ventre, eu tenho certeza
Sairão corpos livres,
Que não viverão
Mais nenhuma agonia

Diovana Nogueira Marino
Rio de Janeiro

 

 

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes